Paranóia Construtiva – uma Técnica de Sobrevivência

TÉCNICAParanóia Construtiva –
uma técnica de sobrevivência

O que uma árvore caindo em uma floresta tropical tem a ver com um mergulho seguro?
Tudo, diz SIMON PRIDMORE

0719 árvores técnicas

Excepcionalmente para uma coluna em um mergulho revista, este começa nas terras altas da Papua Nova Guiné. Há alguns anos, um jovem ornitólogo participou numa expedição, liderando uma equipa de neoguineenses.

Subiram pela floresta até chegarem a um nível onde passariam alguns dias estudando pássaros. O ornitólogo escolheu um local para acampar sob uma enorme árvore florestal, com a casca coberta por um espesso musgo.

Ele pediu a seus companheiros que construíssem ali uma plataforma de dormir, mas eles recusaram. Ele perguntou por quê, e eles lhe disseram que a árvore estava morta e que temiam que ela caísse no acampamento durante a noite e matasse todos eles.

Ele tentou argumentar com eles, mas eles foram inflexíveis e eventualmente todos concordaram em um local diferente, longe da árvore.

A princípio, o jovem ornitólogo ficou irritado. Ele achava que os neoguineenses estavam exagerando o perigo representado pela árvore morta. Porém, ao longo dos meses seguintes, ele percebeu que pelo menos uma vez por dia ouvia o som de uma árvore caindo em algum lugar próximo, e à noite seus companheiros contavam histórias ao redor da fogueira de amigos que haviam sido mortos pela queda de árvores.

Ele calculou que os neoguineenses passavam cerca de 100 noites por ano acampando na floresta. Mesmo que a probabilidade de uma árvore cair sobre eles fosse baixa, quanto mais tempo passassem na floresta, maiores seriam as chances de isso acontecer.

Eles não poderiam evitar completamente o risco de queda de árvores se não entrassem na floresta. Mas poderiam minimizar o risco não dormindo debaixo de uma árvore morta.

O ornitólogo observou que os membros mais jovens do grupo estavam particularmente fascinados pelas histórias de como as pessoas sofreram danos ou simplesmente evitaram o desastre. Ele imaginou que essas histórias constituíam uma parte importante de sua educação.

Concluiu que a obsessão da comunidade pela segurança era uma ferramenta essencial de sobrevivência cultural que contribuiu significativamente para mantê-los seguros, e rotulou esta situação de “paranóia construtiva”.

Apareceu no DIVER junho de 2019

O MUNDO ATÉ ONTEM

O jovem ornitólogo era Jared Diamond e hoje é um acadêmico e autor célebre e muito publicado.

Encontrei a história da queda das árvores no seu livro The World Until Yesterday, no qual ele analisa as sociedades tribais, descreve o seu comportamento e estratégias e relaciona-os com o mundo moderno.

MERGULHADORES TÉCNICOS

Qualquer mergulhador técnico que leia isto entenderá imediatamente o que Diamond está falando. Eles podem não usar a expressão propriamente dita, mas os mergulhadores técnicos empregam a paranóia construtiva como técnica de sobrevivência.

Eles abordam os riscos reais de mergulhar antecipadamente. Eles sabem como os mergulhadores técnicos que vieram antes deles se machucaram e desenvolveram procedimentos e equipamentos para reduzir as chances de o mesmo acontecer com eles.

Os mergulhadores técnicos também falam constantemente sobre segurança no mergulho autônomo. Eles trocam histórias e debatem estratégias de segurança online e quando eles se reúnem em conferências. Ao fazê-lo, estão inconscientemente a imitar sociedades tribais. Os seus diálogos cumprem o mesmo propósito que as conversas à fogueira dos neo-guineenses.

MERGULHADORES ESPORTIVOS

Ao longo dos anos, os mergulhadores técnicos transmitiram inovações à comunidade de mergulho tradicional, como polvo mangueiras, coletes e, mais recentemente, mergulho lateral. No entanto, de um modo geral, a comunidade do mergulho desportivo ainda não adoptou a cultura de segurança de paranóia construtiva dos mergulhadores técnicos.

Na verdade, saber que coisas ruins podem acontecer e aprender como evitá-las ou saber como lidar com elas quando acontecem é o que o mergulhador treinamento em todos os níveis tem tudo a ver.

Por exemplo, novos mergulhadores aprendem como substituir um máscara debaixo de água para que possam gerir (sem entrar em pânico) uma situação em que a sua correia se parta ou a sua máscara é desalojado de seu rosto por um chute nada amigável.

No entanto, os instrutores nem sempre apresentam habilidades com referência direta à situação de emergência que foram projetados para resolver. As habilidades são frequentemente apresentadas como testes a serem realizados ou experiências a serem suportadas. Por exemplo, existe um exercício útil que mostra aos mergulhadores como é ficar perigosamente sem ar para que, se isso acontecer de verdade, eles possam reagir a tempo antes de ficarem completamente sem ar.

Isto é referido por um treinamento agência como um “exercício de esgotamento do ar”. Já testemunhei instrutores introduzindo-o simplesmente com estas três palavras antes de descrever como o exercício será executado.

A possibilidade de um mergulhador ficar sem ar pode estar implícita, mas não é declarada diretamente, muito menos discutida. Esta tendência, nos níveis de mergulhador iniciante, de evitar conversas estranhas sobre coisas ruins que podem acontecer debaixo d'água, pode levar à ignorância, ao excesso de confiança e a uma completa ausência de paranóia construtiva.

Nusa Penida – o que pode correr mal?
Nusa Penida – o que pode correr mal?

Aqui está uma história que ilustra perfeitamente esse ponto. Um dia, meu amigo Robert recebeu um telefonema de um amigo de um amigo. Ela pediu-lhe conselhos sobre como mergulhar em Nusa Penida, uma ilha na costa sul de Bali famosa pelos peixes grandes, mas também famosa pelas correntes fortes e imprevisíveis que a tornam um ponto negro de acidentes.

Robert perguntou quanto mergulho ela havia feito e foi informado de que ela acabara de aprender a mergulhar. Ele ressaltou que mergulhar em torno de Nusa Penida pode ser complicado e sugeriu que, em vez disso, ela fizesse alguns mergulhos em condições mais fáceis em Tulamben, na costa nordeste de Bali.

A mulher ficou muito chateada com o que considerou ser a suposição de Robert de que ela “não era uma mergulhadora excelente, o que eu sou”, e desligou na cara dele.

Dois dias depois, ela ligou de volta para Robert para dizer que tinha ido para Nusa Penida e teve um ótimo dia de mergulho. “Então, você estava errado”, disse ela.

QUEDA DE ÁRVORES

Quando ouvi essa história, lembrei-me imediatamente da história de Jared Diamond sobre a queda de árvores.

A paranóia construtiva também pode fazer parte de um curso para iniciantes.
A paranóia construtiva também pode fazer parte de um curso para iniciantes.

A mulher evidentemente havia se formado em seu curso inicial de mergulhador treinamento sem ideia de suas limitações como nova mergulhadora. Ninguém lhe dissera que muitos locais de mergulho populares em todo o mundo são genuinamente perigosos para iniciantes.

Ela parecia não saber que todos os novos mergulhadores precisam entrar suavemente no esporte e que na verdade é preciso muita prática para se tornar um “excelente mergulhador”.

Ninguém a ensinou a ser construtivamente paranóica em relação ao mergulho. Todos os elogios que recebeu durante o treinamento a levaram a acreditar que, tendo obtido alguns cartões de certificação, ela poderia mergulhar em qualquer lugar.

A paranóia construtiva não é apenas uma ferramenta útil para aprender; é uma técnica de sobrevivência crucial.

Na hierarquia dos cursos de formação de mergulhadores isso geralmente não é abordado até o nível técnico ou profissional, mas realmente deveria ser incorporado desde o início.

Como mergulhadores, podemos aprender a ser construtivamente paranóicos lendo o mais amplamente possível sobre segurança do mergulho, prestando atenção aos relatórios publicados por empresas como BSAC e DAN, e pensando mais sobre a forma como mergulhamos, potenciais ameaças à nossa segurança e o que passos que podemos tomar para antecipar e evitar riscos.

Leia mais de Simon Pridmore em:

Confidencial de mergulho – Um guia interno para se tornar um mergulhador melhor
    Mergulho Profissional – Insights sobre treinamento e operações de mergulhadores esportivos
    Mergulho Fundamental – Comece a mergulhar da maneira certa
    Mergulho Fisiológico – Você acha que sabe tudo sobre medicina subaquática?
Pense de novo!

    Mergulho Excepcional – Torne-se o melhor mergulhador que você pode ser

Todos estão disponíveis na Amazon em vários formatos.

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x