Danos nos corais das Maldivas ameaçam a “sobrevivência da nação”

Notícias de mergulho

Danos nos corais das Maldivas ameaçam a “sobrevivência da nação”

Alertas terríveis sobre a destruição de corais e o futuro das Maldivas foram emitidos pelo organismo internacional de conservação Biosphere Expeditions, na sequência da sua oitava expedição anual de pesquisa de recifes. E o desenvolvimento de resorts está entre as causas responsabilizadas.

“Os corais que constituem a base do arquipélago das Maldivas estão mortos ou morrendo, seguindo a Grande Barreira de Corais por um caminho de declínio catastrófico, morte e destruição”, é a conclusão contundente de um relatório calculado para alarmar os muitos fãs do destino de mergulho popular.

A Biosphere Expeditions, membro da UICN e do Programa Ambiental da ONU, estuda os recifes das Maldivas desde 2011 e afirma que a cobertura de corais tem diminuído ano após ano.

O evento de branqueamento do ano passado, causado pelas alterações climáticas globais e pelo aumento da temperatura do mar, matou muitos corais, afirma, e este ano “a maioria dos recifes foi ainda mais devastada, com sinais de morte e destruição por todo o lado”.

“É claro que há sempre oportunidades para alguma recuperação, mas o problema é que os impactos continuam a aumentar – sedimentação, poluição, aquecimento dos oceanos, pesca excessiva, acidificação dos oceanos, etc., está tudo aqui nas Maldivas, e é por isso que o os recifes estão em péssimas condições e é pouco provável que muitos recuperem”, afirma o cientista da expedição, Dr. Jean-Luc Solandt, especialista em corais da Sociedade de Conservação Marinha.

“Na verdade, muitos dos resorts nas áreas centrais onde pesquisámos foram onde registámos os declínios mais catastróficos, uma vez que a intensidade do impacto humano é mais elevada ali.”

“Sem esta base de corais, não temos uma economia, um país ou uma base para viver”, afirma o Dr. Matthias Hammer, fundador e Diretor Executivo da Biosphere Expeditions, “e as Maldivas estão no processo de destruir esta base da sua sobrevivência como nação”.

A líder da expedição, Catherine Edsell, relata que “este ano vimos investidores estrangeiros, em conjunto com o Ministério do Turismo das Maldivas, recuperarem 7 km de terra para construir ilhas turísticas semelhantes às do Dubai. A dragagem e o despejo de milhões de toneladas de areia sufocam os corais em lodo e os matam em quilômetros de distância.”

A cobertura de coral afectada pode regressar à abundância anterior ao branqueamento dentro de 12 a 15 anos – mas apenas se não houver outras pressões sobre ela.

Além da sedimentação, da acidificação dos oceanos e dos impactos humanos, Rafil Mohammed, da ONG local Reef Check Maldives, afirma que “a sobrepesca desenfreada é outro problema sério. Todos os anos há mais visitantes, mais procura de peixe e diminuição das populações de peixes. Isto também é uma ameaça muito séria para o futuro do nosso país”.

Os relatórios de pesquisa da Expedições da Biosfera de 2011 a 2016 podem ser encontrados SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA.

Divernet – O Maior Online Recurso para mergulhadores

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x