Autoridades do Reino Unido procuram endurecer a interferência em naufrágios

É o que diz o Museu Nacional da Marinha Real que, com o Maritime Archaeology Sea Trust (MAST), convocou a reunião na Admiralty House, em Londres, em meados de Novembro, e agora informou sobre os procedimentos.

Veja também: Navio detido em conexão com saques de túmulos de guerra britânicos 

Estiveram presentes representantes de departamentos governamentais e responsáveis ​​pela aplicação da lei, apoiados por consultores ambientais e culturais.

O Museu Nacional é o principal conselheiro do RN sobre o património naval, enquanto a instituição de caridade MAST está encarregada de educar o público sobre o património marítimo, especialmente a arqueologia.

Ambas as organizações disseram que queriam aumentar a conscientização sobre os perigos da intrusão não autorizada e do salvamento ilegal de destroços navais.

Os registros do MAST indicam que 4793 navios RN foram perdidos entre 1512 e 1982, mas há uma preocupação especial com os frágeis naufrágios de ferro e aço dos séculos XIX e XX.th séculos.

Estes podem conter materiais explosivos instáveis, minerais tóxicos e óleos combustíveis que são perigosos para os mergulhadores e potencialmente prejudiciais ao meio ambiente se forem adulterados.

Os organizadores disseram que esperam agora que o uso de novas tecnologias, como a vigilância remota e as práticas utilizadas noutros locais do mar, como na regulamentação da pesca, sejam utilizadas para melhorar a gestão dos restos navais do Reino Unido.

Relataram também que a reunião “considerou formas de mitigar as complexidades dos quadros jurídicos e a amplitude das partes interessadas que, no passado, criaram ambiguidades”.

O futuro trabalho intergovernamental seria, disseram eles, mais colaborativo e enfatizaria a criminalidade, especialmente dos salvamentos perigosos e não autorizados.

“Estamos ansiosos por discutir com colegas internacionais sobre como poderíamos aumentar a colaboração, para que juntos possamos gerir melhor os perigos potenciais e perseguir o criminoso, mas também procurar a comemoração de ações navais heróicas de uma forma que corresponda às expectativas de hoje”, comentou o Vice-Almirante do Curador do MAST, Sir Anthony Dymock.

O grupo deverá se reunir novamente em abril para analisar o progresso.

Ficou claro que os actuais acordos para a concessão de licenças para mergulhar em naufrágios navais não seriam afectados pelos novos trabalhos – nem seria excluída a possibilidade de licenciamento para mergulhar em outros locais.

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x