Viagra: maldição ou bênção para os mergulhadores?

Mergulhadores na faixa dos 40, 50 e 60 anos que tomam medicamentos para a disfunção erétil precisam estar cientes de que, se o fizerem antes de mergulhar, é muito provável que aumente o risco de doença descompressiva, diz CAREN LIEBSCHER. Por outro lado, quando tomado após o mergulho, o medicamento pode ser um remédio…

QUANDO OS PESQUISADORES DECIDEM para tratar roedores com drogas e mandá-los mergulhar em uma câmara hiperbárica, os mergulhadores perceberão que a intenção é encontrar um remédio para a doença descompressiva (DCI). No entanto, tal estudo certamente atrairá maior atenção quando o medicamento em questão for o Viagra, um dos nomes mais conhecidos na indústria farmacêutica.

Menos conhecida, porém, é a substância ativa do Viagra, o sildenafil, que foi originalmente testado como medicamento para reduzir a hipertensão. O seu efeito benéfico para a parte masculina da humanidade foi mais ou menos um efeito secundário, e foi este que passou a ser amplamente comercializado pela Pfizer e a mudar tantas vidas.

Hoje em dia, o sildenafil está licenciado para tratar a hipertensão pulmonar (aumento da pressão arterial que afeta o coração e os pulmões) e outras doenças vasculares. Em uso off-label, tem sido utilizado com sucesso no tratamento do edema pulmonar induzido pela natação (SIPE) em triatletas. A principal diferença do Viagra é que ele é administrado em doses menores.

O sildenafil atua no endotélio, a camada interna dos vasos sanguíneos. Ele os dilata aumentando o efeito vasodilatador no relaxamento do músculo liso, e faz isso inibindo uma enzima, a fosfodiesterase tipo 5 (PDE5). Reduz a pressão arterial dilatando os vasos.

Como este efeito é semelhante ao que o óxido nítrico (NO) tem nos vasos sanguíneos, os cientistas pensaram que um vasodilatador como o sildenafil poderia proteger contra a DCI em mergulhadores. A DCI se desenvolve a partir de bolhas que se formam a partir de micronúcleos nos vasos sanguíneos após a descompressão, e acredita-se que os agentes liberadores de NO sejam capazes de reduzir a formação de bolhas e prevenir a DCI grave.

No entanto, todas as esperanças de um novo remédio para a DCI foram destruídas quando os cientistas investigaram o efeito do pré-tratamento com sildenafil em animais e descobriram que não só não protegia contra a DCI como poderia até causar danos.

A PESQUISA

Para avaliar os efeitos clínicos, os investigadores pré-trataram pequenos roedores com 10 mg/kg de sildenafil uma hora antes da exposição (os efeitos do medicamento normalmente duram 2-5 horas). Em seguida, os roedores foram submetidos a um mergulho simulado a 90m por 45 minutos em uma câmara hiperbárica antes da descompressão encenada.

Meia hora após o mergulho, foram avaliados clinicamente os sintomas neurológicos de DCI, a contagem de células sanguíneas e a quantificação do nível de bolhas circulantes nas cavidades direitas. O grupo controle não foi pré-tratado com sildenafil, mas recebeu o mesmo volume de água antes de um mergulho em iguais condições.

O resultado foi negativo – houve mais casos de DCI no grupo do sildenafil do que no grupo de controle não tratado. Além disso, houve redução na contagem de plaquetas no grupo do sildenafil, um biomarcador para estresse descompressivo.

Nos casos de ICD, as bolhas de gás danificam o endotélio vascular e provocam resposta inflamatória, ativando leucócitos que transmigram pelo endotélio, o que explica a redução da contagem de plaquetas.

OS RESULTADOS

Por mais decepcionantes que sejam essas descobertas em relação ao DCI, elas não devem ser confundidas com os efeitos benéficos que o sildenafil tem no SIPE em triatletas, mitigando efetivamente os sintomas quando tomado antes do início da atividade.

A natação é uma atividade totalmente diferente do mergulho, com suas profundidades e pressões, e o que é bom para um nadador pode ser ruim para um mergulhador.

Os pesquisadores explicaram que o risco aumentado de DCI ao tomar sildenafil antes do mergulho foi causado pelo efeito vasodilatador da droga no sistema nervoso central, causando um maior fluxo sanguíneo no cérebro e uma carga maior de gás inerte consideravelmente durante a exposição hiperbárica, o que pode então gerar bolhas e DCI grave no tecido neurológico.

Sildenafil e óxido nítrico são vasodilatadores poderosos. Em estudos de pré-condicionamento, NÃO
provou ser eficaz na redução do risco de DD, embora isso não se deva simplesmente ao uso isolado de um vasodilatador.

Um doador de NO endógeno (de origem interna) é liberado como consequência do exercício, enquanto um doador de NO exógeno (de origem externa) pode ser ingerido como alimento.

No estudo, o sildenafil não conseguiu reduzir a formação de bolhas num animal, mas sabe-se que o NO faz isto tanto em roedores como em humanos, como foi demonstrado em estudos de pré-condicionamento. Portanto, os doadores de NO devem envolver propriedades e mecanismos diferentes daqueles encontrados com o sildenafil.

Isto sugere que a presença de núcleos gasosos ligados à parede do vaso não é diretamente influenciada pelo efeito vasodilatador relacionado à elaxação do músculo liso. O NO parece ter efeitos específicos envolvidos na redução do número de núcleos gasosos aderidos à superfície do endotélio.

Também pode desencadear efeitos fisiológicos importantes, como eliminação de radicais superóxido, inibição da agregação plaquetária, modulação da permeabilidade da camada endotelial e atenuação da função leucocitária. O sildenafil não parece ter estes efeitos específicos.

O LADO POSITIVO

Porém, o que pode não ajudar em uma situação pode ser benéfico em outra. Quando o sildenafil é usado 24 horas após o início de um acidente vascular cerebral, demonstrou ser benéfico, elevando o fluxo sanguíneo cerebral e melhorando a recuperação funcional do tecido isquêmico.

Isto dá uma nova esperança de que o sildenafil possa ser útil como tratamento de suporte da DCI neurológica isquêmica em mergulhadores que não se recuperaram após o tratamento inicial com oxigênio hiperbárico.

Métodos de pré-condicionamento antes do mergulho, como sauna ou exercícios leves, são benéficos. Eles desencadeiam a liberação de NO endógeno, que elimina micronúcleos da camada interna dos vasos sanguíneos e, portanto, provavelmente reduz o risco de DCI.

No entanto, exercícios intensos ou sauna dentro de 24 a 48 horas após o mergulho aumentam o risco de DD, porque aumentam o fluxo sanguíneo na maioria dos tecidos e levam ao aumento da formação de bolhas a partir da liberação de nitrogênio.
Em roedores, o sildenafil aumentou o risco de DD quando tomado antes do mergulho, mas não temos conhecimento de casos reais entre mergulhadores humanos.

Se um mergulhador já foi atingido por DCI neurológica e tratado numa câmara hiperbárica, o sildenafil pode ajudar a aliviar os sintomas, aumentando o fluxo sanguíneo cerebral, mas esta é uma suposição baseada em estudos de AVC em roedores e requer mais investigação.

CONCLUSÃO

Os investigadores deste estudo concluem que o pré-tratamento com Viagra ou outros inibidores da PDE-5 promove o aparecimento e a gravidade da DCI, e esta importante descoberta precisa de ser divulgada entre a comunidade de mergulho.

Quando os mergulhadores tomam qualquer medicamento, devem primeiro consultar o seu médico (de mergulho), e isto é especialmente verdadeiro no caso do Viagra.

Possíveis interações com outros medicamentos e interferências com doenças subjacentes num ambiente de mergulho devem sempre ser discutidas e esclarecidas antecipadamente.

Mais estudos sobre marcadores de estresse oxidativo no sistema nervoso central são necessários para compreender melhor os mecanismos subjacentes do sildenafil na DCI. Saiba mais sobre o pesquisa na Biblioteca Nacional de Medicina

PERGUNTE AOS ESPECIALISTAS DE DAN

PESSOAS COM IMPLANTE COCLEAR PODEM MERGULHAR?

O mergulho é um esporte com alguns riscos inerentes e pessoas com surdez ou que foram submetidas a cirurgia de ouvido podem correr maior risco.

Em relação ao retorno ao mergulho após a implantação, o receptor deve esperar no mínimo três meses, ser capaz de autoinflar (ou equalizar) a orelha operada, estar completamente curado, estar livre de sintomas como vertigens, desequilíbrio e dor, e ter completa resolução do hemotímpano pós-operatório (sangue atrás do tímpano).

Ao exame microscópico, o teste da fístula deve ser negativo e a membrana timpânica (MT) não deve entrar em contato com o eletrodo na excursão medial máxima.

O seu médico soprará suavemente o ar no canal auditivo para ver se você fica tonto ou se o tímpano toca o eletrodo do implante coclear.

Seu exame neurológico deve ser normal. Certifique-se de discutir essas recomendações com seu otologista e siga suas recomendações.

VISÃO MÉDICA

A DAN Europe é uma organização mundial sem fins lucrativos que fornece aconselhamento médico de emergência e assistência para lesões em mergulho subaquático. Também promove a segurança do mergulho através de pesquisa, educação, produtos e serviços

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x