Por que os barcos de mergulho devem levar vinagre

arquivo - Notícias de MergulhoPor que os barcos de mergulho devem levar vinagre

As picadas de água-viva são um dos problemas mais comuns enfrentados pelos mergulhadores, mas o melhor tratamento para elas sempre foi muito debatido. Agora, um estudo científico sugeriu não só que enxaguar com vinagre seguido da aplicação de calor é a abordagem mais eficaz, mas que outros tratamentos podem piorar a situação.

O estudo concentrou-se nos remédios para as dolorosas picadas da caravela portuguesa (Physalia physalis, estritamente falando, um sifonóforo e não uma água-viva) e da sua contraparte do Pacífico, a varejeira (Physalia untriculus). Até agora foi recomendado não usar vinagre para tratar as picadas de Physalia.

O estudo foi motivado pelo afluxo de navios de guerra portugueses no ano passado ao longo da costa atlântica de França. Como outros cnidários (águas-vivas, corais, anêmonas e hidras), seus tentáculos carregam pequenas cápsulas chamadas cnidae, que podem liberar veneno na vítima.

Quando os tentáculos tocam uma vítima, apenas uma pequena proporção dos cnidae é expelida imediatamente, mas se não for removida, eles podem continuar a disparar seu veneno por duas semanas ou mais.

A pesquisa envolveu testar uma variedade de soluções de enxágue para ver se elas faziam com que os cnidae liberassem seu veneno. Qualquer coisa que não causasse descarga imediata significativa foi investigada mais detalhadamente para ver se poderia realmente inibir tal descarga.

Foi demonstrado que o vinagre não diluído, cujo principal constituinte é o ácido acético, evita descargas adicionais e permite a remoção segura de tentáculos e cnidae. Qualquer diluição reduziu estes efeitos protetores. Se a área afetada fosse posteriormente imersa em água a 45 graus C, ou se fosse aplicado um pacote de calor, menos glóbulos vermelhos usados ​​nos testes seriam mortos pelo veneno.

Os tratamentos ineficazes incluíam a raspagem dos tentáculos, porque o aumento da pressão fazia com que os cnidae descarregassem. A lavagem com água do mar simplesmente espalhou os cnidae por uma área mais ampla, e as bolsas de gelo aumentaram a probabilidade de descarga.

Os tratamentos comumente recomendados, incluindo urina, álcool, bicarbonato de sódio, creme de barbear, sabonete, suco de limão, álcool e cola, causaram quantidades variadas de corrimento imediato e não conseguiram inibir a descarga adicional – portanto, provavelmente piorariam as picadas. 

O estudo foi uma colaboração entre dois cientistas da Universidade do Havaí em Manoa, que realizou pesquisas anteriores sobre águas-vivas, e dois da Universidade Nacional da Irlanda de Galway. Eles planejam continuar suas pesquisas usando a água-viva juba de leão.

Seu artigo é publicado pela MDPI SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA

Divernet – O Maior Online Recurso para mergulhadores

11-May-17

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x