Passeio de Naufrágio 128: O Rio Garry

O passeio pelo naufrágio do rio Garry
O passeio pelo naufrágio do rio Garry

Raso o suficiente para um mergulho longo e agradável é este navio que naufragou no sudeste da Escócia há 116 anos. JOHN LIDDIARD é nosso guia turístico, ilustração de MAX ELLIS

TENDO ESTADO TODO O CAMINHO PARA O SUL to Guernsey last month, this month we are heading a fair way north, to Scotland’s Firth of Forth.

O naufrágio do navio a vapor de 1339 toneladas Rio Garry está localizado a pouco mais de um quilômetro da fachada cinza sombria da usina nuclear de Torness, embora isso obviamente não seja algo que a tripulação teria apreciado, já que o navio naufragou em ventos com força de furacão em 1893, com a perda de todos os tripulantes.

Nosso passeio começa na caldeira, que permanece intacta (1), tendo rolado sobre o casco achatado até ficar quase a estibordo dos destroços. O Rio Garry era incomum ter duas caldeiras em configuração tandem, como mostrado pelos suportes em forma de cunha para um par de caldeiras alinhadas ao longo da quilha (2).

Caldeira
Caldeira

A segunda caldeira não sobreviveu tão bem. Tudo o que resta são seções das placas finais redondas e alguns tubos de caldeira (3) espalhados logo à frente e a estibordo dos suportes da caldeira dianteiros.

Continuando em direção à proa, à frente dos suportes da caldeira o casco é mais quebrado, com placas nervuradas espalhadas pelo fundo do mar e os destroços ligeiramente inclinados para estibordo.

caldeira quebrada
Caldeira quebrada

Isto pode ter sido devido ao naufrágio original, ou possivelmente um sinal de que a parte dianteira dos destroços caiu para estibordo ao se separar do resto do casco.

Seguindo a trilha das placas do casco, o próximo item reconhecível dos destroços é o guincho da âncora (4), ainda intacto na placa de montagem, mas inclinado para frente.

Isto não é surpreendente, pois embora as máquinas de convés tivessem sido montadas em placas de aço, estas, por sua vez, teriam sido instaladas num convés maioritariamente de madeira que apodreceu há muito tempo.

À frente do guincho da âncora, um par de cabos de âncora repousam no fundo do mar (5). Then, slightly to starboard, you’ll see a large Admiralty-pattern anchor (6).

Apresentadora
Apresentadora

Um pouco mais a estibordo estão mais três âncoras, empilhadas ordenadamente umas sobre as outras (7). Eles teriam sido guardados assim no Rio GarryO convés de proa do navio caiu no fundo do mar como um grupo enquanto os destroços se decompunham.

De volta à linha com os tubos do hawse e o guincho da âncora, uma seção da haste da proa fica inclinada para um lado (8). Mas os destroços não terminam aqui. Logo à frente da proa está o guincho de carga (9), which would have served the forward hold. It’s intact and upright on its mounting-plate.

guincho de carga
Guincho de carga

As to how it ended up here, I can only speculate. Perhaps it was moved during salvage operations. Iain Easingwood’s grandfather worked as a hardhat salvage diver on this wreck, among others, and his photograph in full hardhat gear hangs in the Harbourside in Eyemouth.

Motor de direção do leme
Motor de direção do leme

Seguindo para trás novamente, a bombordo dos destroços e no nível dos suportes da caldeira estão o leme e o motor de direção (10). Também caído a bombordo da quilha está o Rio Garry’s two-cylinder compound engine (11), seu topo apontando para longe dos destroços.

Motor composto de dois cilindros, caído a bombordo
Motor composto de dois cilindros, caído a bombordo

A base do motor fica a uma curta distância da placa de montagem ainda fixada na quilha (12), e em linha com os suportes da caldeira (2). Os recursos a serem observados na placa de montagem do motor são um par de recortes que combinam com o virabrequim abaixo do motor, para fornecer espaço para os movimentos descendentes dos pistões.

O eixo da hélice lidera o caminho para trás (13), então o casco logo se quebra, e o eixo de transmissão com ele.

Os destroços agora estão principalmente no porto. Continuando minha especulação anterior, isso poderia ter sido dano causado pelo naufrágio ou um sinal de que a popa rolou para bombordo ao se separar da parte central dos destroços e desabar. Esta teoria é apoiada pelos guinchos (14) que teria servido aos porões de popa tendo caído para bombordo, intacto na placa de montagem.

Os destroços estão agora escassos no fundo do mar. Talvez seções significativas das placas do casco tenham sido recuperadas para sucata. Tomando uma linha dos guinchos, chegamos a uma seção curva da popa (15), enfrentando completamente o caminho errado para os destroços.

Uma pequena seção da quilha com a extremidade traseira do eixo da hélice (16) e a glândula de popa fica alinhada com a seção do eixo da hélice que seguimos anteriormente. Os restos da hélice estão lá, com as pás quebradas ainda presas.

Um pouco mais a bombordo, os últimos destroços são uma seção do casco, com restos do leme (17) projetando-se por baixo.

A visibilidade é normalmente muito boa, portanto, em uma folga favorável, não deve ser difícil retornar à linha de tiro e subir, especialmente porque é improvável que o mergulho leve a longas paradas descompressivas. Por outro lado, você pode ser preguiçoso e abrir um SMB atrasado.

MORTE EM UMA FORÇA 12

RIO GARRY, navio a vapor. Construído em 1883, Afundado em 1893

DEZ ANOS DE VIDA MARINHA era todo o navio a vapor Rio Garry deveria ter acontecido antes que um furacão de Força 12 a varresse do mar e a esmagasse em Goatness Point, perto de Dunbar e na foz do Firth of Forth, escreve Kendall McDonald.

Embora ela tenha chamado Glasgow de seu porto de origem logo após seu nascimento em 1883, o navio a vapor de ferro de 1339 toneladas foi construído no estaleiro de Workman Clark em Belfast, por ordem de um conhecido armador de Glasgow, Henry William Little.

Driven by a single screw from a two-cylinder compound engine of 99hp with a single boiler, the Rio Garry tinha 240 pés de comprimento, um navio estreito de 32 pés de boca que alcançava 17 pés em sua profundidade máxima. O Sr. Little foi sem dúvida responsável pelo fato de todo o seu maquinário ter sido fabricado e instalado pela Muir & Houston de Glasgow.

A maior parte do Rio GarryAs viagens de 10 anos seguintes foram feitas de ida e volta de Leith a Londres, transportando uma estranha mistura de carvão e passageiros. No comando durante todos esses anos estava o capitão John Cavender, também de Glasgow. Ele parece ter dirigido um navio feliz, já que a maior parte de seus 18 tripulantes ficou com ele durante esse tempo.

O navio comportou-se bem e suas viagens transcorreram sem incidentes graves até que, carregado de carvão, partiu de Leith com destino a Londres em 18 de novembro de 1893.

Então o tempo piorou repentinamente. O vento soprava de nordeste e, quando ela se aproximou de Dunbar, o Rio Garry estava travando uma batalha perdida. O vento era um furacão, o mar era enorme, e o capitão Cavender deve ter sentido que não estava mais no comando.

When they were just a mile north of the town of Dunbar, close to Goatness Point at Torness, the huge wind simply picked up the ship and flung it onto the shore. But it didn’t leave it there. Moments later, the backlash of the waves pulled her into the mountainous seas offshore. The Rio Garry naufragou quase imediatamente.

Não houve sobreviventes. Muito poucos corpos do capitão Cavender, de sua tripulação de 18 homens e do único passageiro a bordo foram encontrados.

GUIA TURÍSTICO

CHEGANDO LA: Eyemouth fica na A1107, logo na saída da A1. Uma vez em Eyemouth, siga as indicações para o porto. O Harbourside fica no lado norte.

O passeio pelo naufrágio do rio Garry
O passeio pelo naufrágio do rio Garry

COMO ENCONTRAR: A Rio Garry fica em um fundo plano do mar com a proa voltada para o leste. As coordenadas GPS são 55 59.84 N, 002 25.07 W (graus, minutos e decimais).

MARÉS: A água parada ocorre 2 horas e 30 minutos após a maré alta ou baixa em Eyemouth

MERGULHO E AR: Marine Quest Boat Charter opera Northstar e Céu prateado da boca dos olhos, 01890 752444. Possui compressor de ar no Harbourside.

ACOMODAÇÃO: Marine Quest está sediada em Harbourside, com acomodações em beliches para até 15 mergulhadores, lounge, TV, acesso gratuito à Internet e uma sala de secagem muito eficiente para kit.

Qualificações: Just beyond PADI Open Water or BSAC Ocean Diver depth.

LANÇAMENTO: Deslizamentos em North Berwick, St Abbs, Eyemouth.

OUTRAS INFORMAÇÕES: Carta do Almirantado 175, Fife Ness para St Abbs Head. Mapa de levantamento de artilharia 67, Duns, Dunbar e Eyemouth. Naufrágios do Forth, Bob Baird. Berwickshire Turismo de Mergulho Associação.

PROS: Raso o suficiente para um mergulho longo e agradável, com bastante tempo para ver tudo.

CONTRAS: Just too deep for newly qualified divers to stay within their qualifications.

Obrigado a Iain Easingwood e Jim Easingwood.

Apareceu no DIVER setembro de 2009

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x