Tour dos Naufrágios 135: O Ramsgarth

Excursão de naufrágio 135 The Ramsgarth
Excursão de naufrágio 135 The Ramsgarth

Às vezes, os destroços esquecidos são uma ótima opção – e pelo menos você os leva para você. Este navio a vapor na costa de Sussex é um exemplo disso, diz JOHN LIDDIARD. Ilustração de MAX ELLIS

TOUR DESTE MÊS é um dos naufrágios menos mergulhados de Littlehampton, mas o navio a vapor de 1552 toneladas Ramsgarth é um pequeno mergulho agradável e vale a pena dar uma olhada para mudar os suspeitos do costume. A 29 m de profundidade em maré alta, está na profundidade ideal para a maioria dos clubes de mergulho.

Nosso passeio começa no casco quebrado (1), porque foi aqui que o tiro pegou quando o capitão da equipe Vernon e Daniel Parker o jogou pela lateral.

Eu esqueço quem estava no comando e quem estava realmente dando o lance naquele dia. O alvo eram as caldeiras, mas elas rolaram para fora dos destroços e o projétil ficou preso em um dos buracos no casco, em vez de se arrastar para as caldeiras.

A Ramsgarth foi abordado e afundado por UB39, parando a estibordo antes de desabar.

O casco sobe apenas alguns metros do fundo do mar neste ponto, de modo que uma rápida passagem por ele revelará o convés ou a quilha do naufrágio sem perder muito tempo.

Na lateral do convés, um conjunto de suportes para caldeiras (2) cutucar debaixo do casco. Logo atrás destes, o topo do RamsgarthA máquina a vapor de tripla expansão (3) também se projeta. As duas caldeiras (4) rolaram ainda mais, com um preso contra o outro.

acima do cilindro de baixa pressão do motor
Acima do cilindro de baixa pressão do motor

Fora destes, os suportes de montagem (5) da segunda caldeira apenas sai do fundo do mar de cascalho.

Mais adiante, o último destroço identificável é a clarabóia (6) e escotilhas de ventilação acima da casa das máquinas.

Roda de válvula perto do motor
Roda de válvula perto do motor

Voltando ao corpo principal dos destroços, há uma quebra logo atrás do motor (7), permitindo que a parte inferior do motor e do virabrequim sejam vistos abaixo do arco do casco e oferecendo penetração limitada para quem realmente deseja se contorcer por baixo.

O eixo da hélice, logo após o freio, termina em um flange onde os parafusos foram cortados. Alguns metros adiante, o eixo da hélice continua (8) com a parte traseira do naufrágio. Depois de algumas seções, ele desaparece na parte restante do túnel do eixo de transmissão (9). Este teria percorrido ao longo da quilha na parte inferior dos porões de popa.

O eixo da hélice quebra logo atrás do motor
O eixo da hélice quebra logo atrás do motor

Com os destroços caídos a estibordo, os dois guinchos (10) que teria servido aos porões da popa agora repousam dentro do casco achatado, logo a estibordo do túnel do eixo de transmissão.

Entre os guinchos está a placa pesada com anel oco que teria sustentado o mastro. O mastro (11) fica atrás do segundo guincho, apontando diagonalmente para longe dos destroços.

guincho de carga
Guincho de carga

A popa permanece mais intacta, tombada para estibordo, com o convés não totalmente vertical, e elevando-se a 24m do fundo do mar, a 29m. Há mais espaço para dar uma espiada no interior do que perto do motor.

As tábuas de madeira do convés sobreviveram notavelmente bem, com cabeços individuais (12) para ambos os lados e um grande quadrante de direção (13) quase preenchendo a última parte do baralho.

Abaixo da popa falta o leme e a hélice também. Tudo o que resta é a cauda do eixo da hélice (14).

O eixo da hélice quebra logo atrás do motor
O eixo da hélice quebra logo atrás do motor

Agora seguimos em frente novamente, através dos porões de popa até estibordo e lado do convés dos destroços (15), cruzando depois o vão de volta para a parte dianteira das caldeiras (4). Para ajudar na má visibilidade, uma grande seção torcida do casco (16) preenche a maior parte da lacuna.

À frente das caldeiras, uma caldeira-burro menor (17) também caiu dos destroços e provavelmente rolou um pouco para frente, porque está mais perto dos guinchos (18) que atendem aos porões dianteiros do que às caldeiras principais.

Entre os guinchos existe um pé de mastro semelhante ao existente entre os porões de popa, mas não há sinal do mastro correspondente.

A parte dianteira do casco tombou para que não haja espaço entre o casco e o fundo do mar. Esta seção também está mais intacta do que a popa, com menos buracos apodrecidos nas placas do casco.

Estamos agora na fase final do passeio na proa. Tal como a popa, a proa é inclinada para estibordo, de modo que o convés fica quase na vertical, e sobe até aos 24m. Novamente, assim como a popa, as tábuas de madeira do convés permanecem praticamente intactas. Há um grande guincho de âncora (19) no meio do convés e pares de cabeços de cada lado.

Abaixo do convés, há fácil acesso ao castelo de proa (20), embora mais abaixo as costelas verticais estejam um pouco próximas umas das outras.

A partir do guincho da âncora, as correntes da âncora são esticadas através dos cabos de bombordo e estibordo, com ambas as âncoras firmemente no lugar contra o casco (21).

A borda superior de bombordo da proa é um bom ponto para liberar um SMB atrasado para fazer uma subida à deriva e garantir sua descompressão.

ATO FATAL DE GENTILEZA

RAMSGARTH, navio a vapor de carga. CONSTRUÍDO EM 1910, Afundado em 1916

A RAMSGARTH, um pequeno navio a vapor britânico desarmado, equipado com uma escuna, de 1552 toneladas, foi construído em Middlesbrough em 1910. Ela se esforçou para escapar de ser afundada por um dos primeiros ases dos submarinos da Primeira Guerra Mundial, Oberleutnant Wilhelm Furbringer, que então comandava UB39, escreve Kendall McDonald.

Mas às 5 horas da manhã do dia 27 de novembro de 1916, enquanto a XNUMX quilômetros ao sul de Worthing Pier, o capitão Tom Appleton do Ramsgarth cometeu o erro de tentar ajudar outro pequeno navio britânico que viu estar em apuros.

Ramsgarth estava viajando em lastro de água de Cardiff e Brixham para o Tyne. Através de seus binóculos, Appleton e seu segundo oficial, Percy Walke, viram um navio desabafando e baixando seus botes salva-vidas.

Um barco salva-vidas se afastou do navio, o que fez com que Appleton começasse a se aproximar. Ele estava prestes a ordenar essa mudança de rumo quando viu a parte dianteira de um submarino saindo de trás do outro navio. Então ele ordenou que seus motores avançassem o mais rápido que pôde.

Ele deixou isso tarde demais. Furbringer abriu fogo e um dos projéteis atingiu o Ramsgarth em seu lado estibordo. Appleton percebeu que não tinha chance de escapar e ordenou que seu navio subisse e seus 19 tripulantes fossem para os barcos.

Furbringer então ordenou que um grupo de embarque de seu submarino colocasse bombas no Ramsgarth. Depois que estes explodiram, o navio levou apenas alguns minutos para afundar.

Os alemães liberaram a tripulação e remaram com segurança até Worthing mais tarde naquele dia.

O Kapitanleutnant Furbringer sobreviveu à guerra, depois de ser capturado quando carregado em profundidade e afundado na costa de Durham em 19 de julho de 1918, em UB110.

O passeio pelo naufrágio de Ramsgarth

GUIA TURÍSTICO

CHEGANDO LA: Veja o mapa no Site da nossa alegria. Os barcos ficam atracados no pontão a leste do rio, onde a estrada ribeirinha encontra a estrada marítima, junto ao Hotel Nelson.

COMO ENCONTRAR: As coordenadas GPS são 50 40.030N, 000 23.639W (graus, minutos e decimais). A proa aponta para norte-noroeste.

MARÉS: A água parada ocorre na maré alta de Littlehampton.

MERGULHANDO: Nossa alegria, capitães Daniel e Vernon Parker.

AR: Serviços de mergulho com vista para o mar, Lanceiro, Mergulhadores de amoreira, Selsey.

ACOMODAÇÃO: B&B no Nelson Hotel, convenientemente localizado próximo ao pontão do barco fretado, 01903 713358.

Qualificações: A uma profundidade de 29m, o Ramsgarth é ideal para a distribuição média de qualificações em uma viagem de clube.

LANÇAMENTO: O deslizamento mais próximo é em Littlehampton.

OUTRAS INFORMAÇÕES: Capitão do Porto, 01903 721215. Carta do Almirantado 1652, Selsey Bill para Beachy Head. Mapa de levantamento de artilharia 197, Chichester e South Downs, Bognor Regis e Arundel. Mergulho em Sussex, de Kendall McDonald. SAC do Vale Mole.

PROS: Ele está convenientemente localizado perto de Littlehampton, e é improvável que haja outros mergulhadores nos destroços para parar no Museu Lyness.

CONTRAS: O casco desabado não é particularmente interessante.

FAIXA DE PROFUNDIDADE: 20-35m

Classificação de dificuldade:

Obrigado a Daniel e Vernon Parker, Tim Walsh e Mole Valley SAC.

Apareceu no DIVER abril de 2010

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x