Wreck Tour 167: A Escócia

Tour dos Naufrágios: 167 The Scotia
Tour dos Naufrágios: 167 The Scotia

Esta draga profunda funcionou durante cerca de 45 anos do longo reinado de Vitória, mas não conseguiu sobreviver à Rainha, afundando-se no sudeste da Escócia na década de 1890. JOHN LIDDIARD aprecia seu maquinário, enquanto MAX ELLIS produz outra bela ilustração

ESBOÇO DESTE MÊS Passeio pelos destroços da draga-balde Escócia começou como uma tarefa quase impossível, mas de repente tornou-se mais fácil.

O capitão Iain Easingwood lançou o tiro bem antes da folga, e nós impacientemente caímos assim que houve folga suficiente para mergulhar.

À medida que descia, escurecia a ponto de ficar preto, com menos de 2m de visibilidade. Comecei a trabalhar tanto pelo tato quanto pela observação e tentei algumas fotografias.

Foi só depois de 15 minutos, mais ou menos quando eu estava decidindo encerrar o dia, que a visibilidade melhorou repentinamente, à medida que a água diminuiu completamente e parou de arrastar lodo do fundo do mar.

O naufrágio virou um mergulho diferente, então resolvi fazer mais uma volta. A visibilidade havia aumentado para 5 m quando terminei e estava claro o suficiente para ser visto com luz natural.

O tiro caiu contra uma seção do casco (1), o único alvo óbvio para um eco, e o que mais tarde eu descobriria ser o pontão de bombordo do casco.

Trabalhando na popa, as vigas do convés do pontão logo se rompem e uma caldeira vertical (2) caiu para frente.
Baldes de dragagem (3) repousar na parte traseira da caldeira, com outro balde apoiado na parte interna a bombordo do casco.

Atrás da caldeira está o enorme volante (4) de um velho motor de feixe orientado através do convés. O Escócia era uma draga da safra de 1848, e acredito que fosse uma simples barcaça de ferro sem motor com um motor de viga industrial montado no convés.

Presa ao lado traseiro da roda está uma biela que leva aos restos de um conjunto de pistão e válvula oscilante (5).

A popa da barcaça é claramente semicircular, com nervuras mudando de um padrão transversal para radial. Logo a estibordo há uma âncora com padrão do Almirantado (6). Como draga, espero que o Escócia teria carregado âncoras em cada canto para proteger e manobrar o casco durante a dragagem.

No nível do volante, no lado de estibordo, há um eixo enorme preso a uma roda dentada igualmente massiva. (7).

Um grande volante nas máquinas de dragagem
Um grande volante nas máquinas de dragagem

Isso teria puxado a corrente da caçamba, com a rotação do motor transferida e acionada por um conjunto de engrenagens cônicas imediatamente atrás dela. (8). Dentro disso há mais alguns baldes de dragagem (9) empilhados sobre as máquinas.

Engrenagens chanfradas nas máquinas de dragagem
Engrenagens chanfradas nas máquinas de dragagem

A parte de estibordo do casco (10) é um pontão tipo caixa como o de bombordo, com uma área inicialmente aberta logo substituída por nervuras do convés.

Entre os pontões divididos, um buraco retangular (11) fornece uma longa lacuna através da qual as caçambas de dragagem teriam sido abaixadas e giradas para dragar o lodo do porto abaixo.

Um par de hastes com extremidades em forma de disco repousa nesta lacuna. Talvez esta seja uma parte misteriosa da maquinaria de dragagem – ou talvez não tenha nada a ver com isso. O termo “draga” abrange um amplo escopo no projeto de navios, desde uma jangada plana grande o suficiente para fazer flutuar um JCB até navios de tamanho considerável com sistemas de caçamba movidos a vapor, como o São Dunstão perto de Dorset.

O layout de pontão duplo dividido do EscóciaO casco sugere que ele poderia ter um braço sólido de corrente de caçamba como no São Dunstão, mas não há sinal de tal braço, apenas uma pilha de baldes.

O resto da maquinaria é de ferro, portanto, se tal braço existisse, também seria de ferro. Poderia ter sido removido para transporte? Poderia ter sido arrancado pela tempestade e perdido no corpo principal dos destroços? Poderia estar enterrado profundamente no lodo abaixo?

anêmonas entre as máquinas
Anêmonas entre as máquinas

Ou talvez nunca tenha existido um braço. O Escócia pode ter funcionado arrastando baldes em um cabo em um loop giratório.

Um pouco mais à frente, o pontão de bombordo rompe-se. Logo a bombordo há um guincho de âncora simples com estrutura em A (12), não muito diferente do tipo encontrado em muitos arrastões a vapor. Ao lado está uma placa de casco com uma pequena vigia (13).

Voltando aos destroços, passamos por um pequeno fairlead e depois apenas por restos de placas de ferro e costelas. Na extensão dianteira desses destroços há uma proa óbvia (14), e talvez a estrutura tubular dobrada atrás dela (15) era outra parte da maquinaria de dragagem – ou talvez isso seja uma ilusão, e era uma simples base de tripé para um mastro.

Máquinas de dragagem
Máquinas de dragagem

Se você atrasou o início do mergulho até a água parada para dar tempo para o lodo se assentar, a corrente estará começando a aumentar agora. O melhor método de subida provavelmente será um DSMB.

DRAGANDO A HISTÓRIA

ESCÓCIA, draga de caçamba. CONSTRUÍDO EM 1848, Afundado em 1893

A ESCÓCIA ERA UM VINTAGE DE 1848 draga de propriedade dos Comissários do Porto de Arbroath. Como muitas dessas dragas, ela era essencialmente uma barcaça com motor e maquinário de dragagem aparafusados ​​​​no topo.

O deslocamento citado de 50 toneladas desmente o tamanho dos destroços e provavelmente se refere a um espaço fechado calculado, e não ao deslocamento real.

A EscóciaA vida profissional de Ter consistiria em semanas ou meses dragando lodo do porto de Arbroath enquanto era manobrado por âncora e linha, depois fazia as malas e era alugado para outros portos da região, fazendo a viagem rebocado por um rebocador a vapor .

Em 21 de fevereiro de 1893, o Escócia estava sendo rebocado de Eyemouth para Granton e foi dominado por um vento de força 6 de nordeste, a cerca de XNUMX quilômetros de Dunbar. O destino do Capitão Brown e sua tripulação de nove pessoas é desconhecido.

O naufrágio foi mergulhado pela primeira vez no barco de Ian Easingwood em 2006 e identificado como o Escócia por ser o tipo certo de navio, do tamanho e da idade certos, mas não o Cyclops (que é a única outra grande draga de caçamba conhecida que naufragou nas proximidades).

O passeio pelo naufrágio da Escócia
O passeio pelo naufrágio da Escócia

GUIA TURÍSTICO

CHEGANDO LA: Eyemouth fica na A1107, logo na saída da A1. Uma vez na cidade, siga as indicações para o porto. Ao entrar na área do porto, ‘The Harbourside’ fica no lado norte.

COMO ENCONTRAR: O naufrágio fica quase todo na vertical em um fundo plano do mar com a proa voltada para nordeste. As coordenadas GPS são 55 58.30N, 002 18.60W (graus, minutos e decimais).

MARÉS: A água parada ocorre três horas após a maré alta ou baixa em Eyemouth.

MERGULHO E AR: Missão Marinha Charter de barco opera em Eyemouth, 01890 752444, Possui uma instalação completa de gás em Harbourside.

ACOMODAÇÃO: O Harbourside dispõe de beliches, lounge, TV, acesso gratuito à Internet e uma sala de secagem muito eficiente para kit.

LANÇAMENTO Desliza em North Berwick, St Abbs e Eyemouth.

Qualificações: Um naufrágio mais profundo do que o normal, mais adequado para aqueles com qualificações técnicas, como Nitrox Avançado ou Procedimentos de Descompressão.

OUTRAS INFORMAÇÕES: Carta do Almirantado 175, Fife Ness para St Abbs Head. Mapa de levantamento de artilharia 67, Duns, Dunbar e Eyemouth. Berwickshire Turismo de Mergulho Associação, Índice de Naufrágios das Ilhas Britânicas, Vol 4, de Richard e Bridget Larn.

PROS: O deslocamento listado de 50 toneladas desmente o tamanho deste naufrágio. Algumas máquinas excelentes, com restos de um grande motor e engrenagens.

CONTRAS: O lodo fino levantado pela maré significa que a visibilidade melhora à medida que a maré diminui e se deteriora
enquanto a maré sobe novamente.

PROFUNDIDADE: 35m -45m

CLASSIFICAÇÃO DE DIFICULDADE:

Obrigado a Iain Easingwood e Jim Easingwood.

Apareceu na DIVER outubro de 2012

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x