Tour do Naufrágio 85: O Lochgarry

O passeio pelos naufrágios de Lochgarry
O passeio pelos naufrágios de Lochgarry

One of Northern Ireland’s most popular wrecks, a ferry that was working as a troopship when she was sunk in World War Two, lies near Rathlin Island. The wreck’s bathroom fittings are just part of the attraction, says JOHN LIDDIARD. Illustration by MAX ELLIS

EM UM DESTRUÍDO VERTICAL COMO O LOCHGARRY, repousando sobre um fundo marinho plano, há muitas opções de alvos para mirar o tiro. Então, apenas para minha conveniência, nosso passeio começará na popa, no final do naufrágio mais próximo da Ilha Rathlin.

Nos últimos anos, a popa começou a se separar do corpo principal dos destroços e a cair para estibordo, deixando o suporte do canhão (1) apontando em um ângulo.

Abaixo da popa, a torção do casco deixou um recesso entre o casco e o fundo do mar (2), embora o eixo da hélice esteja bem enterrado (3).

Voltando ao convés, a estibordo da popa quase toca o fundo do mar. À frente do suporte do canhão, o convés de madeira está dividido e esticado sobre as vigas do convés onde os destroços se torceram.

Grade de convés
Grade de convés

De cada lado, pequenos pares de postes de amarração (4) são mantidos no lugar por suas placas de montagem fixadas nas laterais do casco.

Como ex-balsa em serviço como navio de tropas durante a Segunda Guerra Mundial, o Lochgarry foi equipado com todas as instalações necessárias para acomodar os passageiros.

O primeiro sinal disso é uma área de ladrilhos preto e branco xadrez diagonalmente no chão de um vaso sanitário ou banheiro, logo atrás de onde a popa inclinada encontra o convés principal ainda nivelado. (5). O Lochgarry tinha um segundo convés de passageiros percorrendo toda a largura do casco acima do convés principal. Agora desabou quase ao nível do convés principal, embora um pouco mais adiante tenha desabou para estibordo (6).

Ladrilhos verificados do chão do banheiro
Ladrilhos verificados do chão do banheiro

Continuando em frente e próximo à linha central, outro remanescente das instalações dos passageiros é uma placa de porcelana branca de uma pia ou vaso sanitário (7).

Afastando-se das instalações de passageiros, logo atrás da casa de máquinas, a estibordo dos destroços, está a base de um guindaste de movimentação de carga (8). Sua lança atravessa os destroços.

Guindaste de movimentação de carga
Guindaste de movimentação de carga

A casa das máquinas é aberta acima, com a LochgarryA máquina a vapor de tripla expansão está totalmente exposta (9). The aftmost low-pressure cylinder is upright, while forward of this the intermediate and high-pressure cylinders have fallen as a pair to port.

Exceto pela popa que agora está caindo, o lado estibordo da casa de máquinas é a única área do casco que desabou (10). O freio é tão limpo que suspeito que foi projetado para resgatar o condensador da base do motor.

À frente da casa das máquinas, o convés principal continua com o convés superior desabado quase ao mesmo nível. A caldeira está abaixo e pode ser vista olhando para frente através da antepara da casa das máquinas.

Novamente, a estibordo, outra região de ladrilhos preto e branco xadrez diagonalmente marca a localização de um dos banheiros (11). Logo ao lado está uma placa quebrada de porcelana branca de um vaso sanitário ou pia.
Cruzando para bombordo, uma estrutura em caixa (12) is the base from a water-tank. Immediately forward of this, a second such structure still has the water-tank in place above it.

Tal como na parte traseira dos destroços, o convés superior desabou ainda mais a estibordo. Nesta área deixa um pequeno vão a bombordo onde é possível observar os restos de ferragens entre os conveses (13). A esta altura, não será nenhuma surpresa que os itens mais reconhecíveis imprensados ​​entre os conveses sejam ainda mais acessórios de banheiro.

Cruzando novamente o convés e continuando em frente, duas fileiras de montantes ao longo do convés teriam sustentado a casa do leme. Depois temos o sinal final do nosso tema de banheiro, outra região daqueles azulejos xadrez diagonalmente (14).

À frente da casa do leme está o recesso para o Lochgarrydo porão principal, corte um convés com uma braçola mais alta do que o normal ao redor da escotilha (15). Descendo para dentro, a largura do porão é coberta por uma pilha profunda de correntes pesadas, despejadas pela Marinha Real como a maneira mais fácil de impedir o acesso às armas pequenas e granadas de mão transportadas abaixo.

A corrente continua subindo pelo convés e pela lateral, através de um dos dois recortes a bombordo, e desce até uma grande âncora no fundo do mar ao lado do casco (16).

Enquanto a 32m do fundo do mar, um pouco mais longe e alguns metros à ré está a cobertura tubular de um ventilador (17). Bem na parte inferior da proa, um pedaço significativo foi colocado (18) de onde o Lochgarry vaporizado nas rochas de Torr Point.

Seguindo a corrente de volta ao convés, a parte traseira do castelo de proa é aberta, dividida por montantes que sustentam o convés de proa (19). O acesso ao interior é fácil, com muita luz superior e lateral. Acima, o convés de proa está completo com todos os seus acessórios, desde vários conjuntos de cabeços até grades na parte traseira e parcialmente em cada lado.

Uma pilha de correntes impede o acesso a munições no fundo do porão
Uma pilha de correntes impede o acesso a munições no fundo do porão

O guincho-âncora (20) está bem à frente na proa. As âncoras foram lançadas para manter o Lochgarry em vigor quando foi dada a ordem de abandono do navio.

Com o Lochgarry sendo o naufrágio mais popular da região, o mar acima dele pode estar lotado de barcos de mergulho, especialmente nos finais de semana. Mesmo que a descompressão não seja necessária, recomenda-se um SMB retardado para a subida.

MÃE DE TODAS AS GALES

NO ESTUDO DA GUERRA EM 1939, muitos dos conhecidos navios da companhia escocesa de ferry David McBrayne foram requisitados para o serviço de guerra, escreve Kendall McDonald. Mas as 1670 toneladas, 81m Lochgarry não sobreviveria à guerra.

Ela havia sido transformada em um navio de tropas, mas poucas alterações foram necessárias. Transportar homens para as ilhas exteriores precisava de um navio robusto e em condições de navegar e Lochgarry foi tudo isso, funcionando bem para McBrayne nas águas tempestuosas das Hébridas. Em 21 de janeiro de 1942, ela partiu de Glasgow para Oban, onde deveria reunir algumas tropas para guarnecer as solitárias Ilhas Faroé.

Os soldados britânicos deveriam impedir qualquer tentativa alemã de transformar essas ilhas numa base ou ponto de abastecimento para submarinos alemães, que já estavam a causar estragos nos comboios que atravessavam o Atlântico Norte.

Lochgarry navegou em um dos maiores vendavais que já atingiu o Canal do Norte, entre a Escócia e a Ilha do Norte. O vento literalmente a soprou nas rochas da Ilha Rathlin, perto da costa de Antrim.

Ela atacou em Torr Point, apenas um quilômetro e meio a leste de Rue Point em Rathlin. Ela foi levada com tanta força que tudo o que seu capitão pôde fazer foi colocá-la na popa e se afastar um pouco das rochas antes que ficasse claro que ela estava afundando rapidamente. Não houve tempo para nada além de colocar os 59 tripulantes nos botes salva-vidas e voltar para a costa.

Os dois primeiros barcos com 30 pessoas a bordo conseguiram. O terceiro bateu em uma pedra e virou, afogando todos os 29 ocupantes. Ondas enormes dificultaram o trabalho Lochgarry, e em minutos ela foi lançada sobre águas mais profundas e afundou.

GUIA TURÍSTICO

CHEGANDO LA: Serviços de ferry Norfolkline no Mar da Irlanda, Liverpool (Birkenhead) para Belfast, 0870 600 4321. De Belfast siga pela M2, A26 e A2 para Portstewart.

MARÉS: A melhor água parada é duas horas antes da maré baixa de Belfast. Há também uma folga menor cerca de três horas antes da maré alta em Belfast.

COMO ENCONTRAR: A Lochgarry fica com a proa logo ao sul do leste. As coordenadas GPS são 55 15.957N, 6 10.436W (graus, minutos e decimais).

MERGULHO, AR E ALOJAMENTO: Aquaholics, 028 70832584.

LANÇAMENTO: Há um grande deslize público em Ballycastle.

Qualificações: Not a difficult wreck to dive, but the depth requires at least PADI Advanced or BSAC Sports qualifications.

OUTRAS INFORMAÇÕES: Carta do Almirantado 2798, Lough Foyle até a Ilha Sanda, incluindo a Ilha Rathlin, Índice de Naufrágios da Irlanda por Richard e Bridget Larn, Naufrágios da costa irlandesa por Edward J Bourke, Naufrágios da costa do Ulster por Ian Wilson, Os Ventos Fortes de Rathlin por Tommy Cecil, Mergulhando na Irlanda, Naufrágios Irlandeses Online por Randall Armstrong.

PROS: Muitas coisas para ver, além das características habituais dos destroços.

CONTRAS: Pode estar ocupado com barcos de mergulho acima, especialmente nos finais de semana.

Obrigado a Richard Lafferty, David e Tony Vincent.

Apareceu no DIVER março de 2006

Outras excursões de naufrágios na Irlanda do Norte na Divernet: Alastor, Bangor, Castelo Éden, Hunsdon, Neotsfield, William Mannell

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x