Baleias azuis regressam aos campos de matança espanhóis

NOTÍCIAS DE MERGULHO

Baleias azuis regressam aos campos de matança espanhóis

BDRI

Foto: Instituto de Pesquisa do Golfinho-nariz-de-garrafa.

O maior mamífero do mundo, a baleia azul, está a regressar à costa do noroeste de Espanha, onde foi caçada quase até à extinção até há 35 anos. Os biólogos marinhos estão divididos sobre as razões do seu reaparecimento, no entanto, alguns argumentam que é causado pela memória popular e outros pelas alterações climáticas.

O biólogo marinho Bruno Diaz, chefe do Instituto de Pesquisa do Golfinho-nariz-de-garrafa em O Grove, na Galiza, avistou pela primeira vez uma baleia azul de 24 metros na ilha atlântica de Ons, entre um grupo de nadadeira baleias há quatro anos.

Mais duas baleias azuis foram avistadas pelos cientistas em 2018 e 2019, e ambos os indivíduos regressaram à área no ano passado. Os mesmos espécimes nunca haviam sido documentados retornando à plataforma continental por dois anos consecutivos. Agora, em agosto, outra baleia azul diferente apareceu perto de O Grove.

As baleias azuis podem crescer até 30 metros e pesar até 170 toneladas. Eles podem viver até 90 anos e se alimentar principalmente de krill.

A ONU propôs uma moratória sobre a caça às baleias em 1972, mas a Espanha não proibiu a caça até 1986, altura em que a maioria das baleias azuis já tinha sido exterminada na área. Diaz acredita que, como resultado da moratória, os descendentes dos poucos que sobreviveram à era baleeira estão agora a ser atraídos de volta aos mares ancestrais por uma forma de memória popular.

“Geralmente, as baleias aparecem quando o vento nordeste carrega a camada superior de água da costa para o mar e permite que as águas profundas emerjam na plataforma”, disse Diaz ao Público. “É por isso que quando o Nordeste sopra vários dias seguidos, a água das praias fica tão fria. Mas essas águas são uma bomba de nutrientes para todas as espécies.

“Este ano quase não houve vento de nordeste, mas estou convencido de que quando chegar, mais cedo ou mais tarde, acabaremos avistando outra baleia.”

25 agosto 2021

Diaz acredita que existem poucos dados que sugiram que a escassez de alimentos causada pelas alterações climáticas está a impulsionar o regresso das baleias azuis, mas outro biólogo marinho, Alfredo López, do centro de investigação de mamíferos marinhos da Galiza, CEMMA, acredita que seja esse o caso.

Disse ao Público que as baleias azuis “nunca vão para sul do Equador, e se essa linha subir para norte por causa do aquecimento do planeta, o seu habitat é reduzido… estão a ficar sem comida, e o que estamos a ver não é nada de bom sobre, mas um drama.

"Talvez o nadadeira A baleia se recuperou um pouco, mas dizer que a baleia azul também se recuperou não faz sentido”, disse López. Ele também ressalta que as baleias azuis só são vistas na companhia de outros tipos de cetáceos e que podem estar cruzando.

o maior

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x