Barco deixou casal no mar: processo de US$ 5 milhões culpa falta de pessoal 

Alexander Burckle e Elizabeth Webster
Alexander Burckle e Elizabeth Webster

Um casal americano em lua de mel moveu uma ação civil de US$ 5 milhões contra uma operadora turística havaiana de mergulho com snorkel, alegando ter ficado traumatizado há 18 meses, quando seu barco saiu de um local enquanto eles ainda estavam na água.

Em 23 de setembro de 2021, o catamarã Sail Maui deixou Maui com 44 convidados para um passeio de mergulho com snorkel na ilha de Lanai, chegando ao local próximo a um resort abandonado por volta das 10.45hXNUMX. Os mergulhadores foram informados de que teriam até uma hora para passar na água antes de o barco seguir em frente.

Sail Maui organiza passeios com snorkel para vários locais acessíveis apenas por barco. “Se você está procurando uma aventura que não esquecerá tão cedo, não procure mais”, promete o site.

Foi assim que o dia acabou para Alexander Burckle e sua esposa Elizabeth Webster, de Califórnia. Descritos como mergulhadores experientes, eles nadaram para mais longe do barco do que os outros hóspedes, mas, quando começaram a voltar, descobriram que o mar estava cada vez mais agitado e dificultando o progresso. Acenar e gritar foram infrutíferos, pois finalmente perceberam que o barco estava se afastando deles.

Na tentativa de chegar ao catamarã, os recém-casados ​​foram arrastados para o mar e estavam agora a meia milha da costa, com ondas de 2.5 metros que obscureciam a sua visão. Eles também estavam preocupados em tentar chegar à costa, tendo sido avisados ​​para não se aproximarem por causa do recife raso, mas decidiram que tinham que correr esse risco. 

Barco deixou casal no mar – Lanai, com Maui ao fundo (Matt McGee)
Lanai, com Maui ao fundo (Matt McGee)

Levaram mais meia hora para chegar a um trecho deserto da costa, quando já haviam passado mais de duas horas na água. Cansados ​​e desidratados, eles acabaram sendo encontrados por dois transeuntes locais que os ajudaram a retornar a Maui de balsa. Eles também lhes emprestaram um telefone para ligar para Sail Maui – e de acordo com o processo, só então a operadora percebeu que eles estavam desaparecidos.

Fresando

O catamarã continuou até o próximo local de mergulho com snorkel, sem que sua tripulação soubesse que faltavam dois passageiros. De acordo com o processo, o primeiro imediato fez três tentativas para realizar uma contagem de funcionários, mas estas foram ineficazes porque as pessoas estavam circulando e não foram instruídas a permanecer no local durante a contagem. Depois de duas contagens indicando 42 pessoas, a terceira parecia somar as 44 necessárias.

Outra convidada, que trabalhou com a Guarda Costeira dos EUA, diz que ao sair do mar perguntou à tripulação se Burckle e Webster estavam de volta a bordo, e foi-lhe garantido que sim. Só no dia seguinte, quando conheceu o casal, soube do ocorrido e informou a Guarda Costeira, que iniciou uma investigação.

A Sail Maui teria mudado seu procedimento de contagem de funcionários desde o incidente, mas o casal está buscando indenização da operadora e de seu capitão por negligência grave e infligir sofrimento emocional. Eles ainda estariam recebendo tratamento psicológico para ansiedade e estresse.

Também na Divernet: Freediver com boia sobrevive à separação do barco, Para onde diabos nosso barco foi? Mergulhador suporta deriva de 5 horas – depois caminha, Mergulhador suporta deriva de 7 horas após separação

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x