Mergulhadores encontram mamíferos extintos em buraco negro

NOTÍCIAS DE MERGULHO

Mergulhadores encontram mamíferos extintos em buraco negro

Buraco Negro 2

Mergulhadores de cavernas descobriram crânios e ossos de ursos extintos e animais parecidos com lobos na península mexicana de Yucatán – e a descoberta foi descrita como inovadora por paleontólogos.

O especialista Blaine Schubert, da East Tennessee State University, convocou mergulhadores profissionais para ajudar sua equipe a recuperar os restos fossilizados da caverna Hoyo Negro (Buraco Negro), um poço inundado em forma de sino com cerca de 60 metros de diâmetro e 55 metros abaixo do nível do mar.

A caverna marca o ponto de intersecção de três passagens, criando uma armadilha natural para os animais. O derretimento da água da geleira que inundou a caverna após suas mortes teria ajudado a preservar seus ossos.

7 de maio de 2019

Os mergulhadores encontraram fósseis de sete ursos individuais da espécie Arctotherium wingei, que estava relacionado ao urso pré-histórico de cara curta, considerado o maior que já existiu. O colágeno preservado num dente permitiu à equipe datar os restos mortais de cerca de 11,000 mil anos atrás, no final do período Pleistoceno.

Também foram encontrados fósseis de outro grande mamífero carnívoro Trogloditas Protocyon, uma criatura extinta parecida com um lobo.

Uma série de descobertas de esqueletos pré-históricos de animais e também humanos foram feitas nas cavernas de Hoyo Negro nos últimos 12 anos, datando de até 40,000 anos, mas a última descoberta é particularmente significativa para os paleontólogos.

Nenhuma das espécies existia ao norte da América do Sul antes da expedição. Devido aos seus climas tropicais, a América Central e o sudeste do México têm um registo fóssil pobre do evento pré-histórico denominado “Grande Intercâmbio Biótico Americano”.

Isto ocorreu depois que o istmo do Panamá subiu e criou uma ponte terrestre entre a América do Norte e a América do Sul, há cerca de 3 milhões de anos, permitindo migrações em ambas as direções. Ambos os mamíferos encontrados pareciam descender de espécies norte-americanas que muito antes se mudaram para o sul – mas depois migraram de volta para o norte.

A descoberta, que agora expandiu sua distribuição conhecida para mais de 1200 milhas ao norte da América do Sul, é descrito em Royal Society Biology Letters.

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x