Mergulhadores revelam novos tesouros no ‘porto do vício’ romano

Coluna de mármore Portasanta, uma nova descoberta em Baia (Naumacos)
Coluna de mármore Portasanta, uma nova descoberta em Baia (Naumacos)

O spa submerso de Baia há muito atrai mergulhadores e praticantes de snorkel para a Baía de Nápoles, na Itália, mas na semana passada a equipe do parque subaquático descobriu uma parte anteriormente insuspeitada do local que permanecia invisível desde os tempos da Roma Antiga.

Os mergulhadores notaram pedaços de alvenaria entre leitos de ervas marinhas ao norte de uma área já escavada chamada Terme del Lacus, e durante a investigação encontraram “novas colunas, novos pisos – um bloco totalmente novo para brincar!”

Veja também: Mergulhadores investigam antigos destroços de mármore do Mediterrâneo

Então, na segunda-feira de Páscoa (10 de abril), no centro do próprio Terme del Lacus, os mergulhadores do parque ficaram entusiasmados ao encontrar um novo mosaico, descrito como um “entrelaçamento psicodélico de linhas geométricas feitas com azulejos coloridos”. Isso ainda não foi totalmente revelado.

Detalhe do mosaico descoberto em 10 de abril em Terme dell Lacus (Edoardo Ruspantini)
Detalhe do mosaico descoberto dias atrás em Terme dell Lacus (Edoardo Ruspantini)
O mosaico revelado até agora (Edoardo Ruspantini)
O mosaico revelado até agora (Edoardo Ruspantini)

Baia foi uma estância termal da moda para a elite de Roma durante um período de seis séculos, entre 100 a.C. e 500 d.C., com imperadores como Júlio César, Nero, Calígula e Adriano hospedados em villas ali.

No entanto, a atividade vulcânica que criou as suas fontes termais também causou a subsidência que gradualmente selou o seu destino. Outrora descrito como um “vórtice de luxo” e “porto do vício”, o complexo submerso fica perto de Pozzuoli.

Colunata de pedra

Os levantamentos da área recém-descoberta estão sendo realizados pela Naumacos Underwater Archaeology & Technology e pelo Parque Arqueológico Campi Flegrei, que supervisiona o local.

As duas organizações colaboram há muito tempo na investigação da Baía e os seus mergulhadores estão agora a documentar os vestígios visíveis no fundo do mar, enquanto tentam estabelecer até que ponto a área se estende para além dos 80 metros quadrados já observados.

Piso com triângulos de mármore preto e branco intercalados com Portosanto (Nauma
Piso de mármore com triângulos pretos e brancos intercalados com azulejos Portosanta (Naumacos)
A coluna de mármore Portasanta mostrando proporções (Naumacos)
A coluna de mármore Portasanta mostrando suas proporções (Naumacos)
Mergulhadores sobre colunas de pedra desabadas (Naumacos)
Mergulhador paira sobre colunas de pedra desabadas (Naumacos)
Varredura multifeixe da área (ISPC CNR Instituto de Ciências do Patrimônio Cultural)
Varredura multifeixe da área (ISPC CNR Instituto de Ciências do Patrimônio Cultural)

Uma colunata de pedra parcialmente desmoronada já foi localizada e, entre várias colunas, está uma feita do precioso mármore Portasanta importado da ilha grega de Chios. Embora quebrado, foi relatado que estava bem preservado.

Uma grande seção de obra sectil também foram identificados pisos, nos quais materiais cortados são incrustados para formar um desenho ou imagem. Este foi executado em mármore utilizando lajes alternadas de branco e cinza-preto e rosa Portasanta, o que data o piso do período posterior de construção da Baia. Pensa-se que os restos mortais faziam parte de vilas romanas.

Antigas muralhas reveladas entre áreas de Posidônia (Naumacos)
Antigas muralhas reveladas entre áreas de Posidônia (Naumacos)

“Talvez devêssemos ter esperado isto, visto que uma estátua de Apolo foi encontrada nesta área há alguns anos”, comentou Campi Flegrei. A estátua quebrada e sem cabeça descoberta em 2013 foi restaurada no Instituto Central de Restauração de Roma e só recentemente foi identificada como representando o deus sol.

Estátua de Apolo encontrada em 2013, mas considerada uma exceção (Naumacos)
Estátua de Apolo encontrada há 10 anos, mas até agora considerada uma exceção (Naumacos)

Mergulhadores visitantes podem reservar mergulhos no Parque Arqueológico Campi Flegrei Centro de Mergulho em Pozzuoli. Dois mergulhos custam 65 euros.

Também na Divernet: Na Costa Cilento, Atlântida da Itália – um mergulho na história antiga, Dive & Dig – Mais segredos para revelar

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x