Menos mordidas de tubarão significam menos tubarões?

Um tubarão-limão foi responsável por uma mordida – uma ocorrência muito rara (Albert Kok)
Um tubarão-limão foi responsável por uma mordida – uma ocorrência muito rara (Albert Kok)

O número de “ataques” de tubarões não provocados em todo o mundo caiu em 2022, empatando com 2020 para o menor número de incidentes relatados nos últimos 10 anos, de acordo com o relatório anual derivado do banco de dados do Arquivo Internacional de Ataques de Tubarões (ISAF) da Universidade da Flórida.

2020 foi quando se acredita que as restrições de viagens relacionadas à Covid e o fechamento de praias provavelmente resultaram em menos encontros entre humanos e tubarões.

Veja também: Snorkeller perde o pé para tubarão no TCI

A maioria das 57 mordidas não provocadas no ano passado ocorreu nos EUA e na Austrália. Cinco foram fatais, contra nove em 2021 e 10 no ano anterior. Mas há más notícias para os tubarões – pensa-se que a redução global das mordidas em 2022 poderá reflectir o declínio global das populações de tubarões.

“De modo geral, o número de tubarões nos oceanos do mundo diminuiu, o que pode ter contribuído para as recentes calmarias”, disse Gavin Naylor, diretor do Programa de Pesquisa sobre Tubarões do Museu de História Natural da Flórida. “É provável que o número de vítimas mortais tenha diminuído porque algumas áreas implementaram recentemente protocolos rigorosos de segurança nas praias, especialmente na Austrália.”

Nas estatísticas da ISAF, os mergulhadores são agrupados com praticantes de snorkeling e de mergulho livre, representando apenas 12% do total de vítimas de mordidas de tubarão – a maioria são surfistas ou nadadores.

(Jane Dominguez/Universidade da Flórida)
(Jane Dominguez/Universidade da Flórida)

Mordidas provocadas

Desde 2013, ocorreram em média 74 mordidas não provocadas de tubarão por ano. O relatório da ISAF enfatiza fortemente as mordidas não provocadas, em vez do tipo provavelmente incitado pela presença de linhas de pesca ou camarões na água. Em 2022, mais 32 mordidas seriam contabilizadas como provocadas, intencionalmente ou não.

“As mordidas não provocadas nos dão uma visão significativamente maior da biologia e do comportamento dos tubarões”, diz Naylor. “Mudar o ambiente de tal forma que os tubarões sejam atraídos para a área em busca de sua fonte natural de alimento pode levá-los a morder humanos, quando de outra forma não o fariam.”

Como de costume, o maior número de mordidas ocorreu nos EUA, especialmente na Flórida, embora nenhuma das 16 mordidas não provocadas no estado tenha sido fatal. Dois, provavelmente de tubarões-touro, precisaram de amputações e, em um raro incidente, uma mulher mergulhadora no Parque Nacional Dry Tortugas, na Flórida, foi mordida por um tubarão-limão.

Incomumente New York relataram um recorde de oito mordidas em 2022, seis confirmadas e consideradas provavelmente o resultado de tubarões-tigre juvenis atraídos para a zona de arrebentação por peixes-isca ao largo de Long Island. 

A única morte não provocada nos EUA ocorreu quando outra mulher mergulhadora desapareceu em Maui, Havaí em dezembro, conforme relatado em Divernet.

(Jane Dominguez/Universidade da Flórida)
(Jane Dominguez/Universidade da Flórida)

Sistema marinho incomum

Nove mordidas não provocadas ocorreram na Austrália e duas na África do Sul, consideradas por tubarões brancos e ambas fatais. Incidentes únicos ocorreram no Brasil, Nova Zelândia e Tailândia. 

Duas mulheres mergulhadoras morreram mordido no mesmo dia no Mar Vermelho do Egito, onde as mordidas de tubarão são raras, considerando os níveis de atividade na água. Os ataques ocorreram a menos de um quilômetro um do outro e podem ter sido perpetrados por um único tubarão tigre.

“É um sistema marinho muito incomum porque o fundo do mar desce muito vertiginosamente”, disse Naylor, explicando que isso poderia trazer os tubarões para perto da costa. “Os oceanos abertos são muitas vezes bastante sombrios e os tubarões pelágicos que neles vivem vivem do oportunismo. Qualquer fonte potencial de alimento que encontrarem, eles irão provar.”

As probabilidades de ser mordido por um tubarão continuam “incrivelmente baixas”, conclui o relatório, que pode ser consultado no site Arquivo Internacional de Ataque de Tubarão site.

Também na Divernet: Tubarão branco mata mergulhador com uma mordida, ‘Luar perigoso’ ligado a ataques de tubarão, ‘Evento Freak’: Snorkeller minimiza mordida de tubarão

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x