Mergulhadores com equipamento fantasma para evitar burocracia

NOTÍCIAS DE MERGULHO

Mergulhadores com equipamento fantasma para evitar burocracia

crédito de pesca fantasma christin

Foto: Ghost Fishing Reino Unido.

A burocracia atualmente dificulta os mergulhadores voluntários que desejam ajudar a limpar o lixo marinho, particularmente equipamento de pesca fantasma, parece prestes a ser cortado pelo governo.

Actualmente, os mergulhadores que participam na recolha organizada de lixo marinho e os utilizadores de barcos que facilitam essas operações necessitam de uma licença.

Mas uma consulta de seis semanas recentemente lançada pela Ministra do Ambiente, Thérèse Coffey, pretende levar à sua isenção de licenciamento – deixando-os livres para lidar com as cerca de 640,000 toneladas de artes fantasmas abandonadas anualmente.

3 Novembro de 2018

“As comunidades de mergulho desempenham um papel importante na proteção do nosso ambiente marinho e no combate ao lixo e aos equipamentos fantasmas que destroem os nossos oceanos”, disse Coffey. “Queremos tornar mais fácil para os mergulhadores e outros utilizadores do mar desempenharem o seu papel, e é por isso que estamos a analisar como podemos reduzir a burocracia e, ao mesmo tempo, manter as mais elevadas proteções para a nossa preciosa vida marinha.”

As propostas fazem parte de uma consulta mais ampla sobre a simplificação do sistema de licenciamento marítimo e a redução de encargos desnecessários para os mergulhadores, afirma o departamento do ministro Defra (Departamento de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais).

As regras atuais, introduzidas em 2011, pretendiam limitar o impacto ambiental de atividades como construção e dragagem, mas atraíram mergulhadores preocupados com o meio ambiente, especialmente quando se tratava de usar barcos ou equipamentos como içamento-sacos para limpezas.

“Como mergulhadores, vemos em primeira mão os danos ao ambiente marinho causados ​​por artes de pesca abandonadas e perdidas, juntamente com outro lixo marinho”, comentou o presidente do British Sub-Aqua Club, Alex Warzynski. “Qualquer coisa que o Defra possa fazer para facilitar a limpeza dos mergulhadores sem medo de fazer a coisa errada ajudará.”

As propostas permitirão também que as autoridades portuárias removam todo o lixo marinho, em vez de se limitarem a remover apenas objectos que apresentem um risco imediato de obstrução ou perigo para a navegação.

Em 2017, o governo do Reino Unido aderiu à Global Ghost Gear Initiative, um consórcio fundado pela World Animal Protection para abordar coletivamente o problema do lixo de pesca emitem. Também lançou a Commonwealth Clean Oceans Alliance no início deste ano.

O seu plano global para combater o lixo marinho inclui a proibição de microesferas e propostas de proibição da venda de palhinhas de plástico, agitadores e cotonetes, bem como de garrafas de bebidas e de um esquema de devolução de depósito de latas.

A consulta sobre remoção de lixo decorre até 14 de dezembro – dê a sua opinião num online vistoria SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA.

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x