Naufrágio do Maldives Victory está danificado, mas pode ser mergulhado

NOTÍCIAS DE MERGULHO

Naufrágio do Maldives Victory está danificado, mas pode ser mergulhado

Vitória Maldivas

As Maldivas não são conhecidas pelos seus naufrágios, por isso a reabertura de um dos seus mais conhecidos após um encerramento de três anos foi bem recebida pelos mergulhadores.

A desvantagem é que ao mergulhar no Vitória navio de carga foi proibido, grandes danos parecem ter sido infligidos aos destroços e ao recife próximo, como resultado dos trabalhos de construção de uma ponte realizados por uma empresa chinesa.

Os mais férias os mergulhadores vão direto de Malé para as ilhas remotas das Maldivas, mas o Vitória fica não muito longe do aeroporto, no sudoeste do recife de Hulhule, no Atol de Malé.

13 Março de 2019

O encerramento começou em 2016, quando os trabalhos começaram a 500 metros do local na primeira ponte rodoviária inter-ilhas das Maldivas, a ligação Sinamale de 1.2 km entre Malé e Hulhule.

Os mergulhadores foram eventualmente autorizados a flutuar no local do naufrágio, em um esforço para evitar novas invasões pela China Harbor Engineering. Os navios que trabalhavam na ponte estavam ancorando nos destroços, danificando a casa do leme e as cabines, incluindo a do capitão.

Além disso, a forte sedimentação resultante do trabalho teria sufocado os destroços e danificado grande parte dos corais circundantes, afastando a vida marinha.

Os 110m Vitória transportava carga geral de Singapura na noite de 13 de fevereiro de 1981.

Ela sofreu enquanto manobrava em direção ao porto de Male através da principal rota marítima, Gaadhoo Kolu. Embora fosse proibido entrar no canal depois do anoitecer, o capitão decidiu que seria seguro seguir um navio maior até o porto.

Um erro de cálculo ao contornar uma ilha resultou na colisão do navio com o recife Hulhule. A água entrou através de seu casco rompido e, com o Vitória tombando, o capitão decidiu que seu melhor caminho seria encalhar.

Os 30 tripulantes e sete passageiros foram resgatados e o navio foi rebocado para fora do recife antes de afundar.

De pé, a 37 metros de profundidade, os destroços tornaram-se bem colonizados, embora se diga que caçadores de souvenirs tenham desmantelado grande parte deles ao longo dos anos.

Contudo, antes do encerramento, o Vitória foi estimado para atrair cerca de 120 mergulhadores por dia, proporcionando à indústria local de mergulho uma receita de pelo menos US$ 3 milhões por ano.

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x