Mistério das mantas negras

NOTÍCIAS DE MERGULHO

Mistério das mantas negras

Black Manta

Foto: Stephanie Venables.

Por que algumas mantas são pretas? E por que as mantas negras estão distribuídas de forma tão desigual pelo mundo? O que se diz ser o primeiro estudo sobre a pigmentação negra numa espécie marinha concluiu que esta provavelmente resulta de processos evolutivos aleatórios, como a deriva genética.

O melanismo, como é chamado o efeito, é comum em animais terrestres, mas raro entre os habitantes dos oceanos. Animais com pigmentação mais escura na pele ou pelo são conhecidos como “morfos de cor” e, no mar, são as mantas que mais comumente exibem essa característica – a única espécie de arraia ou tubarão conhecida por fazê-lo.

A maioria das mantas tem o dorso cinza escuro e a parte inferior principalmente branca, mas as mantas pretas são quase inteiramente pretas, exceto por uma mancha branca central na parte inferior que varia em forma e tamanho, permitindo aos observadores identificar os indivíduos.

Cientistas da Marine Megafauna Foundation (MMF) e das universidades da Austrália Ocidental, Papua, Udayana, Murdoch e Macquarie colaboraram para investigar o melanismo em mantas gigantes (Mobula birostris) e mantas de recife (Mobula Alfredi) nos oceanos Índico e Pacífico.

Eles usaram o MantaMatcher, um banco de dados global de fotografias de identificação e registros de encontros compilados por cientistas com a ajuda de mergulhadores recreativos.

Descobriu-se que as mantas negras representavam até 40% da população em alguns locais, mas estavam ausentes em outros.

“Melanism was most prominent in the Raja Ampat (West Papua, Indonesia) population of reef manta rays (40%) and in the Ecuador population of giant manta rays (16%), which is interesting considering the distance between these two regions,” said lead author Stephanie Venables.

“A variação na frequência do melanismo entre locais levanta questões sobre por que o melanismo persistiu nas raias manta e por que é mais comum em algumas populações do que em outras.”

29 de outubro de 2019

O melanismo em animais terrestres tem sido associado a vantagens de camuflagem e de termorregulação, mas parece improvável que tais explicações se apliquem às mantas, especialmente porque o facto de serem mais escuras poderia fazê-las destacar-se mais facilmente dos seus poucos predadores, como grandes tubarões ou orcas.

“Apesar de estarem menos camuflados, descobrimos que os predadores não parecem ter como alvo as mantas negras mais do que as mantas de cor normal, uma vez que as taxas de sobrevivência eram iguais”, disse a Dra. Andrea Marshall, do MMF.

O estudo encontrou evidências de que o melanismo poderia se espalhar entre populações vizinhas de manta gigante através do fluxo gênico. Embora seja transmitido de geração em geração, os cientistas ainda não identificaram os genes responsáveis ​​pelas raias manta.

A pesquisa é publicada em Proceedings of the Royal Society B.

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x