GPS de tubarão – e orcas na Cornualha

NOTÍCIAS DE MERGULHO

GPS de tubarão – e orcas na Cornualha

Tubarão BH Serena Epstein escalado

Tubarão Bonnethead (Foto: Serena Epstein)

Os cientistas descobriram o que consideram ser a primeira evidência sólida de que os tubarões usam campos eletromagnéticos para navegar.

Conscientes de que os tubarões são sensíveis a esses campos, os cientistas especulavam há muito tempo que, tal como as tartarugas, eles dependiam deles para orientação durante as suas migrações de longa distância. No entanto, eles não conseguiram testar sua hipótese.

“Esta pesquisa apoia a teoria de que eles usam o campo magnético da Terra para ajudá-los a encontrar o caminho – é o GPS da natureza”, disse o líder do projeto Save Our Seas Foundation (SOSF), Bryan Keller, do Laboratório Costeiro e Marinho da Florida State University.

“Para ser honesto, estou surpreso que tenha funcionado. A razão pela qual esta questão tem sido resistida há 50 anos é porque os tubarões são difíceis de estudar.”

Os experimentos envolveram 20 tubarões cabeça-de-cabeça juvenis (Sphyrna Tiburo), uma espécie conhecida por retornar a estuários “nacionais” específicos a cada ano. Colocados numa piscina circular, os tubarões foram expostos a condições magnéticas representando locais a centenas de quilómetros de onde foram capturados.

Isto permitiu aos cientistas prever a direção em que os tubarões se orientariam se dependessem de um “mapa magnético” – para norte no campo magnético sul, para sul no campo norte e neutro se expostos ao campo correspondente ao seu local de captura. Os tubarões sempre seguiram as orientações previstas.

“Quão legal é que um tubarão possa nadar 20,000 km de ida e volta em um oceano tridimensional e voltar ao mesmo local?” disse Keller, referindo-se à migração documentada de um grande branco entre a África do Sul e a Austrália. “Num mundo onde as pessoas usam GPS para navegar em quase todos os lugares, esta capacidade é verdadeiramente notável.”

8 de maio de 2021

A equipe de Keller sugere que as respostas ao campo magnético da Terra também podem afetar a localização das comunidades de tubarões e a sua genética. Eles agora esperam explorar os efeitos sobre os tubarões dos campos magnéticos provenientes de fontes como cabos submarinos – e como os tubarões usam sinais magnéticos no seu comportamento diário.

Seu estudo foi publicado na revista Current Biology.

****** DUAS ORCAS FORAM avistadas no oeste da Cornualha – a primeira vez que qualquer uma da única população residente do Reino Unido, ligada à costa oeste da Escócia, foi confirmada como visitando águas inglesas.

O avistamento foi feito em 5 de maio, perto do Minack Theatre em Porthcurno, perto de Land's End, de acordo com a equipe marítima Seaquest Southwest do Cornwall Wildlife Trust (CWT).

As orcas foram identificadas como indivíduos conhecidos “John Coe” e “Aquarius” pelo formato e entalhes em sua região dorsal. barbatanase manchas coloridas perto dos olhos e nas costas. Elas pertencem ao grupo de oito baleias assassinas da “Comunidade da Costa Oeste”, algumas das quais não foram vistas nos últimos anos.

Não foram observados bezerros desde que o monitoramento das orcas começou na década de 1990, e teme-se que o grupo esteja em risco de extinção devido a fatores que incluem a exposição a produtos químicos PCB proibidos, que podem torná-los inférteis.

“Este é o primeiro registro oficial de orca em nossos bancos de dados com fotos associadas em mais de uma década, e mais uma prova do valor de nossos mares costeiros no apoio a essas criaturas magníficas”, disse Abby Crosby, oficial de conservação marinha da CWT.

o maior

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x