Paraíso de parede a parede de Wakatobi 

Por dentro, olhando para o azul em um dos locais de mergulho na grande muralha de Wakatobi, na Indonésia. Foto de Walt Stearns
Por dentro, olhando para o azul em um dos locais de mergulho na grande muralha de Wakatobi, na Indonésia. Foto de Walt Stearns

Se você gosta de mergulhar em paredes, estará no paraíso de parede a parede em Wakatobi.

No matter how many times you’ve experienced it, that initial moment when you reach the edge of a sheer underwater wall will always be a thrill. One second, you are finning through a shallow coral reef, the next you are suspended over the edge of the abyss. This topographic contrast is particularly keen at Resort de mergulho Wakatobi, onde muitos dos locais de mergulho incluem paredes íngremes que começam em profundidades muito rasas – algumas com menos de 10 metros de profundidade e mergulham em uma trajetória vertical até profundidades muito além dos limites aceitos do mergulho esportivo. Junte-se a nós nesta aventura virtual de mergulho voador em parede que se torna vertical.

No limite

Mergulhadores descendo pela lateral de uma parede.
Mergulhadores descendo pela lateral de uma parede.

The dive boat’s captain gently maneuvers in close to the edge of reef. Morning sunlight penetrates the water’s calm surface, providing a dramatic glimpse of what lies below. The contrast is stunning between the ocean’s deep hypnotic blue and the sudden rise of the reef’s crest looking shallow enough to stand in. Looking over the side, you can follow a large portion of the wall’s sheer face a good way down through crystal clear water.

A final gear check and a giant stride later you’re confronted by a shallow realm above and the deep below as you begin descending with a subtle venting of your BCD. Along the way a large, colorful jade green anemone with its host of clownfish close the edge of the wall catches your eye, but they can wait. Right now, it’s time to visit the basement. Flanked by your buddy and your dive guide, the three of you descend in formation like skydivers free falling in slow motion. Traveling at a leisurely pace your computador de mergulho’s depth readings start ticking into the triple digits while at the same time, the landscape has undergone some dramatic changes.

Down here, sheltered from surface wave action and storm surge, things grow bigger. The face of the wall is dotted by groves of outsized soft coral trees and sea fans broader than two times your outstretched arms. Sponges down in this more shadowy world begin to take on more outlandish proportions, like barrel sponges that have grown much larger than an actual barrel. You wish you had set up to shoot wide-angle this morning, but then again, there’s more walls than you can count, and of course, there will be some cryptic critters taking shelter amongst the wall’s crevices.

Foto Diver with red sea fans and wire coral

Photo Diver com leque do Mar Vermelho e corais-chicote
Diver with red sea fan and whip corals. Located on the western side of Sawa Reef system Pinki’s Wall features huge barrel sponges and large gorgonian sea fans growing on the ledges, all harboring a variety of creatures. Foto by Walt Stearns

Dê uma rápida passeio virtual em algumas paredes de Wakatobi > aqui no YOUTUBE  

There are also several types of fish you hadn’t noticed on some of the shallower dives, like anthias and basslets with striped markings or blotchy color patterns in vivid hues that look almost electrified. A burst of movement and color catches your eye. It’s a smallish orange and pink fish that holds near the wall, then periodically dashes into águas abertas, flaring its barbatanas e parecendo adquirir um tom ainda mais brilhante de laranja, rosa e roxo. Relembrando um briefing pré-mergulho, você o reconhece como um bodião exibicionista, com a intenção de atrair a atenção de um parceiro em potencial.

A Wakatobi dive guide attracts your attention with a “come over” motion. She’s floating close to a large gorgonian, pointing to what looks like, well, more branches of the gorgonian. You look. Then look closer. Nothing. Then finally, you see it: a tiny seahorse, small enough to lay across your fingernail, with a coloring and texture that perfectly mimics its gorgonian host. You can be excused for not seeing this tiny creature. The pygmy seahorse’s camouflage is so perfect that scientists didn’t discover most of the species until after the year 2000.

A glimpse of a perfectly camouflaged pygmy seahorse is a sight that is rarely forgotten. This little fellow was photographed at Fan 38 East, a signature Wakatobi wall known for its many, many sea fans. <a href=Photo by Walt Stearns " class="wp-image-47642" title="Wakatobi’s Wall to Wall Paradise  3" srcset="https://divernet.com/wp-content/uploads/2023/05/MG_7124-300x200.jpg 300w, https://divernet.com/wp-content/uploads/2023/05/MG_7124-768x512.jpg 768w, https://divernet.com/wp-content/uploads/2023/05/MG_7124-1024x682.jpg 1024w, https://divernet.com/wp-content/uploads/2023/05/MG_7124.jpg 1100w" sizes="(max-width: 1024px) 100vw, 1024px">
Um vislumbre de um cavalo-marinho pigmeu perfeitamente camuflado é uma visão que raramente é esquecida. Este garotinho foi fotografado no Fan 38 East, um muro exclusivo de Wakatobi conhecido por seus muitos, muitos leques do mar. Foto de Walt Stearns

Seus esforços fotográficos para capturar o garotinho começam a tirar o melhor de você enquanto você tenta se manter estável, aparentemente sem nada abaixo de você. Mas, antes que qualquer frustração se instale, seu guia intervém para agir como um tripé humano. Com uma mão firme em um pedaço de rocha sem vida, a outra debaixo do braço ou no topo do tanque, a tarefa de repente se torna fácil. Clique no obturador e você o terá. Embora você se considere sortudo por ter visto um, lembre-se de agradecer ao seu guia de mergulho por seus olhos aguçados e sua ajuda constante.

O meio-termo

Time seems to stand still as you hold motionless alongside the towering face of the wall. But the nitrogen clock is running, and there’s much more to see. Your guide leads you on a slow upward traverse toward more intermediate depths, where the face of the wall is pockmarked by an extensive network of shadow-filled undercuts and caverns. At an evening presentation in the Longhouse a couple nights ago, the dive center manager explained that sections of the wall within this depth range were shaped by wave action thousands of years ago, when sea levels were lower.

Local de mergulho em Wakatobi Spiral Corner, múltiplas saliências cortadas profundamente na parede lateral. Em meio a todo esse crescimento, esconde-se uma abundante vida macro. Foto de Walt Stearns
Local de mergulho em Wakatobi Spiral Corner, múltiplas saliências cortadas profundamente na parede lateral. Em meio a todo esse crescimento, esconde-se uma abundante vida macro. Foto de Walt Stearns

Estas erosões antigas proporcionam agora abrigo a uma variedade de criaturas reclusas, que são reveladas através de uma abordagem cuidadosa e do uso criterioso de uma pequena luz de mergulho. As antenas reveladoras de lagostas se projetam de uma fenda, outro recesso revela uma tartaruga verde. 

Quando o feixe de luz atinge seu flanco, o peixe cometa, também chamado de betta marinho (Calloplesiops altivelis), abre suas nadadeiras, criando a ilusão de que é muito maior do que o tamanho real. Ele também enfiará a cabeça, deixando a cauda com um olho falso para fora. Foto de Walt Stearns
When a light’s beam strikes its flank, the comet fish, also called a marine betta (Calloplesiops altivelis) spreads its barbatanas, creating the illusion that it is much larger than actual size. It will also stick its head into a hold leaving its tail with a false eye sticking out. Photo by Walt Stearns

Glowing eyes stare back from a particularly deep crack, but you are unable to determine the identity of the creature. You do recognize the resident of another small cave, as this fish was also mentioned in the pre-dive briefing. Covered with vivid white spots set against a black body, this could only be the comet fish. Sure enough, it sports the distinctive eye spot near the base of it’s dorsal fin, which is there to fool would be predators into confusing head from tail. When the light’s beam strikes its flank, the comet fish spreads its barbatanas, criando a ilusão de que é muito maior que o tamanho real.

Cobertura se estiver desligado

Progredindo para uma profundidade mais rasa, a maioria permaneceria para uma parada de segurança, pois o mergulho ainda está longe de terminar. Uma rápida olhada em seu computador’s display shows your remaining no-stop time hasn’t even begun to reach single digits. Your pressure gage shows you still have a comfortable reserve to keep going and make the most out of Wakatobi’s trademark 70-minute profiles. 

Subir para profundidades mais rasas significa mais luz solar à medida que o recife começa a adquirir uma aparência diferente. Foto de Walt Stearns
Subir para profundidades mais rasas significa mais luz solar à medida que o recife começa a adquirir uma aparência diferente. Foto de Walt Stearns

Então, você usa os últimos dez a 15 minutos explorando o planalto raso coberto de corais do recife. De volta ao topo, o recife ganha uma aparência diferente sob a luz solar forte. As grandes gorgônias vermelhas e laranjas e os leques do mar são substituídos por manchas de coral-couro e intrincadas formações de placas e corais de mesa. Com a maré quase baixa, os corais sobem quase à superfície e os seus reflexos são espelhados nas calmas águas rasas da água, criando uma dupla exposição surreal do recife.

Depois de admirar o panorama geral, sua atenção volta aos detalhes enquanto você começa uma caçada pelos picos e vales da crista de corais. Um cardume de peixes-porco pretos, comumente chamados de durgons pretos, passa, com suas nadadeiras peitorais e dorsais ondulando com um movimento de bater mais parecido com o vôo do que com a natação. 

Seja descendo ao longo da parede ou navegando ao longo da crista, fique atento ao choco Broadclub (Sepia latimanus). Foto de Walt Stearns
Seja descendo ao longo da parede ou navegando ao longo da crista, fique atento ao choco Broadclub (Sepia latimanus). Foto de Walt Stearns

Next comes a cuttlefish or two), either on a solo hunt or scouting for the pack. This is prime territory for nudibranch enthusiasts, and it doesn’t take long to spot several of these brightly colored sea slugs making their slow journey through the undulations of the reef. More elusive are the pipefish, which are likely hiding somewhere in plain sight, silently biding their time in anticipation of a tasty morsel coming within range. 

Olhando para o seu guia, vocês dois se movem para cima e para longe do recife para que o barco possa buscá-los. Seu computador diz que se passaram 74 minutos durante o mergulho. De volta a bordo, enquanto você olha para o lado em busca do choco que se despediu de você, seu guia abre um grande sorriso e pergunta: “pronto para outro mergulho?” Você então percebe que haverá muito mais oportunidades para descobrir esses caçadores furtivos e muitas outras criaturas incríveis que vivem nas paredes de Wakatobi.

Pronto para mergulhar na parede? Entre em contato com a equipe Wakatobi em office@wakatobi.com or pergunte >aqui.

Visite a wakatobi.com para descrições de mais de 40 locais de mergulho para explorar – SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA

VAMOS MANTER CONTATO!

Receba um resumo semanal de todas as notícias e artigos da Divernet Máscara de mergulho
Não fazemos spam! Leia nosso política de privacidade para mais informações.
Subscrever
Receber por
convidado

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Entre em contato

0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x